Pesquisar neste blog

quarta-feira, 6 de julho de 2016

meiodaestrada

O Meio da Estrada

29 de novembro de 2015

Diógenes Dornelles
1 - Isaías 35:1-10
O deserto e o lugar solitário se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa. Abundantemente florescerá, e também jubilará de alegria e cantará; a glória do Líbano se lhe deu, a excelência do Carmelo e Sarom; eles verão a glória do Senhor, o esplendor do nosso Deus. Fortalecei as mãos fracas, e firmai os joelhos trementes. Dizei aos turbados de coração: Sede fortes, não temais; eis que o vosso Deus virá com vingança, com recompensa de Deus; Ele virá, e vos salvará. Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão. Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; porque águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. E a terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas; e nas habitações em que jaziam os chacais haverá erva com canas e juncos. E ali haverá uma estrada, e um caminho, que se chamará o caminho santo; o imundo não passará por ele, mas será para aqueles; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão. Ali não haverá leão, nem animal feroz subirá a ele, nem se achará nele; porém só os remidos andarão por ele. E os resgatados do Senhor voltarão; e virão a Sião com júbilo, e alegria eterna haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido.

Uma Escritura Com Sentido Composto

2 - Essa Escritura pode possuir várias maneiras de se aplicar, se adequando a diversas épocas e lugares, afinal o irmão Branham disse que todas as Escrituras possuem um sentido composto ou duplo. Isaías parece ter escrito isso na época em que os assírios cercaram Jerusalém; mas essa mesma passagem também tem sido aplicada para o final do exílio babilônico com a promessa do retorno de Israel a Sião. Porém é inegável que a menção da cura de surdos, coxos, cegos e mudos, nos lembra perfeitamente do ministério de cura divina do Filho do homem que se manifestaria por duas vezes sobre a terra, na Sua primeira e segunda Parousia.

3 - Nessa passagem de Isaías é dito que rios iriam regar os campos secos e desertos, deixando eles férteis e muito parecidos com alguns lugares que foram citados, como Líbano, Carmelo e o vale de Sarom, que eram lugares muito conhecidos por serem férteis e prósperos. Então aqui é feito uma promessa de que quando os rios enchessem e chegassem aos desertos, eles seriam tão prósperos e ricos quanto aqueles lugares. Aquela terra seca e infrutífera começaria a produzir porque os mananciais voltariam a regar os campos outrora estéreis. Em seguida é feita uma promessa de que Deus viria para vingar o Seu povo e recompensá-lo por sua fé e paciência, trazendo salvação a todos.

Seca Espiritual Sobre a Terra

4 - Porém nós devemos continuar concentrando nossas atenções nessa declaração de que Deus faria os rios encherem para regar a terra e por fim à seca que estava sobre ela. Embora isso também pudesse ter um cumprimento literal, há um simbolismo por trás de tudo isso. A seca sempre é usada na Bíblia para tipificar a ausência de Deus e de Sua Palavra, cuja ausência provoca fome e sede espiritual sobre o povo que O rejeitou, por isso a seca e o deserto. O irmão Branham mesmo disse que hoje estamos vivendo dias de uma grande seca espiritual, e isso já estava profetizado para acontecer.

Alimento Espiritual na Devida Estação (18/07/1965) § 34
E agora vamos tipificar isso com a seca espiritual de hoje. Agora, todos nós sabemos, estamos muito conscientes de que há uma grande seca espiritual na terra hoje, espiritualmente falando. E, sabe, isso foi predito pelos profetas, seria pouco antes da segunda Vinda de Cristo, disseram: “Haverá uma fome na terra, e não será somente por pão, mas pelo ouvir da Palavra de Deus”. E esse dia é agora, “ouvir a verdadeira Palavra de Deus”. Agora, isso tipifica a seca natural com a espiritual.

5 - Então veja que o irmão Branham diz que no tempo do fim viria uma grande seca sobre a terra, mas a Escritura que nós lemos em Isaías diz que Deus prometeu que pelo menos para o Seu povo Ele poria fim a essa seca e que os rios do ermo e do deserto seriam cheios, e só há uma coisa que pode encher de água um rio seco: chuva. Porém muita chuva. Deus então está dizendo em Isaías 35 que Ele derramaria chuva para regar os desertos. A terra que antes era seca e morta seria frutífera e viva. Mas Deus faria isso somente em favor do Seu povo, o que significa dizer que enquanto alguns se fartarão com abundante chuva e com mananciais fartos, outros estarão em sequidão espiritual. Agora, se essa seca tipifica uma sequidão pela ausência da Palavra de Deus, essa chuva que Deus prometeu derramar sobre o Seu povo não pode ser outra coisa senão a Sua Palavra que haveria de ser revelada nestes últimos dias por meio de um profeta. Deus enviou certa vez chuva para Israel por meio de um profeta. Nos dias de Elias, a ausência de chuva tipificava a sequidão espiritual de Israel por ter abandonado o Deus verdadeiro para servir aos ídolos. Mas pela intercessão de Elias, Deus regou e fartou aquela terra.

A Doutrina de Deus é Como Chuva

6 - Durante a sua peregrinação no deserto, Israel só não morreu de fome e de sede porque Moisés estava lá, e Deus sustentou o Seu povo enviando não somente a água da rocha, mas também a água espiritual, que era a Sua Mensagem dada ao Seu povo por meio de Seu profeta Moisés. Portanto chuva na Bíblia simboliza a Palavra de Deus ou a Sua Doutrina, e era assim que Deus mesmo chegou a identificá-La.

Deuteronômio 32:1-2
Inclinai os ouvidos, ó céus, e falarei; e ouça a terra as Palavras da Minha boca. Goteje a Minha doutrina como a chuva, destile a Minha Palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva.

7 - Então veja que Deus usa aqui palavras como “chuva”, “chuvisco”, “orvalho” e “gostas de água” para simbolizar a Sua Doutrina, que é a Palavra que sai da Sua boca por intermédio de um profeta, e sempre foi assim que Deus operou. E é exatamente dessa maneira que Ele regaria a terra e encheria os rios para pôr fim ao deserto espiritual: enviando a Sua sã doutrina para a Noiva do tempo do fim por meio de um profeta vindicado, porque foi assim que Deus sempre atuou e Ele não muda.

8 - Agora veja que depois que Deus enviasse a chuva, que é a Sua Doutrina, o texto de Isaías diz que isso prepararia uma estrada e um caminho que levaria o Seu povo à uma santidade com Ele, ou seja, essa doutrina criaria um canal de comunicação entre Deus e o Seu povo. Seria essa mesma chuva que prepararia tudo isso: ela regaria a terra seca e prepararia ao mesmo tempo um caminho, limpando todo o obstáculo e lavando toda a sujeira para que o Seu povo pudesse transitar por ele em segurança. E não apenas isso, mas o Seu próprio povo também seria lavado e santificado por essa mesma água. Paulo usou a figura da lavagem da água para tipificar a Palavra de Deus.

Efésios 5:25-26
Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a Si mesmo Se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra,

9 - Por isso que é dito em Isaías que o imundo não poderia passar por esse caminho, porque está sujo. Só os que foram limpos, lavados e banhados por essa água da Palavra é que poderão passar por ele, pois a menos que ele seja lavado e santificado pela doutrina do tempo do fim, ele não poderá tomar parte nisso com os santos, que por sua vez aceitaram ser lavados de toda a imundícia doutrinal e dos sistemas humanos.

Os Convidados Sem as Vestes Nupciais

10 - Para participarmos da Ceia das bodas do Cordeiro temos que estar preparados para isso. Jesus nos lembrou disso quando contou a parábola das bodas onde só poderiam ficar na festa os que estivessem vestidos de maneira adequada, o que significa que há certas exigências que nós precisamos cumprir, do contrário não podemos fazer parte disso.

Mateus 22:2, 11-14
O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho; (Veja que são dois personagens bem distintos que o Senhor Jesus Cristo está criando aqui para mostrar uma diferença entre eles. Este rei é Deus, e o filho deste rei tipifica Jesus Cristo, que não é Deus. Depois no versículo 11 diz) e o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

11 - Naqueles dias no oriente havia um costume de se entregar para os convidados de alguma festa de um rei uma vestimenta igual para todos. O não uso dessa veste seria interpretado como uma desobediência e desrespeito à sua pessoa e a todo o seu reinado. Aqui nessa parábola esse convidado não quis usar as vestes oferecidas, talvez porque estava muito orgulhoso das suas próprias ou porque achava mais bonita e não queria ficar igual aos outros. Ele também com esse gesto demonstrou não ter respeito para com o rei. A sua sentença então foi de ser retirado da alegria da festa e levado para um lugar de escuridão.

12 - Essas vestes nupciais tipificam as vestes de santidade que cada filho de Deus deve vestir enquanto estiver neste caminho da santidade. Também tipifica a própria doutrina que foi recebida e abraçada mediante a fé divina revelada. Qualquer outra veste diferente dessa representa o homem que vive e pensa segundo a sua própria fé intelectual, sem revelação. Como aquele convidado, muitos estão assim entre nós hoje, festejando conosco, mas não são como nós, porque eles têm a sua própria doutrina, sua própria maneira de crer e de festejar e que tentam seguir o seu próprio caminho de santidade. Ninguém que entre nesta festa é uma espécie de invasor, porque todos são convidados a entrar, mas só irão permanecer aqueles que forem obedientes à Palavra do Rei e do Seu Filho. Embora a parábola mostre apenas um convidado vestido daquela maneira, Jesus termina a parábola dizendo que são muitos os que são chamados e convidados, mas poucos são de fato os eleitos, escolhidos e predestinados de antemão para participar desta festa das Bodas.

13 - Ainda nos dias de Moisés houve vários que pereceram no deserto porque não aceitaram se sujeitar ao profeta de Deus e à sua mensagem. Coré, Datã e Abirão são alguns exemplos de convidados que festejaram por algum tempo com os filhos de Deus, mas que depois tiveram que sair da festa porque não estavam conseguindo se sujeitar e obedecer a Palavra do Rei. Aqueles homens morreram no deserto porque não aceitaram andar da maneira que Deus queria que andassem naquele caminho que Ele havia preparado; e em Isaías foi dito que os imundos não andarão nesse caminho. Aqueles homens queriam seguir os seus próprios caminhos; eles queriam crer em sua própria doutrina, porém as Escrituras dizem que eles eram como nuvens sem água, porque eles não aceitaram se sujeitar à Palavra de Deus.

Nuvens Sem Água

Judas 1:10-12
Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem. Ai deles! Porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; (Eles não se posicionam, são instáveis) são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas.

14 - Porque duas vezes mortos? Porque eles se diziam crentes, mas uma vez que a sua vida e confissão de fé era apenas intelectual, isso provou que eles de fato não criam, então eles estavam crucificando a Palavra pela segunda vez, o que lhes fez morrer pela segunda vez também. Porém veja que o que Judas está nos dizendo é que naqueles dias da igreja primitiva havia pessoas que estavam na igreja, mas que eram como “manchas nas festas de amor” da Noiva daquele tempo, vivendo na imundícia espiritual porque não aceitaram ser lavados pela água da Palavra, ainda que eles participassem de suas reuniões. Eles estavam usando as suas próprias vestes. Eram crentes incrédulos ou manufaturados, como nos ensinou o irmão Branham. Eles tinham apenas uma aparência de santidade, mas eles não haviam de fato separado suas vidas para Deus, porque é exatamente isso que a palavra “santo” significa, “separado”. Eles tinham apenas uma forma de piedade, mas negaram o seu poder. Eles tentavam mostrar que tinham uma Palavra, porque Judas aqui disse que eles tinham uma aparência de “nuvem”, como de chuva, porém aquelas nuvens de chuva estavam vazias porque não havia nenhuma gota d’água nelas. Você já sabe que a chuva tipifica a Palavra, a doutrina, e esses homens tentavam mostrar que possuíam a chuva da doutrina de Deus, mas eles eram nuvens vazias sem água, porque eles não possuíam a doutrina de Cristo, a não ser a sua própria doutrina e a sua própria palavra. Esses homens eram pregadores, mas eles estavam pregando qualquer coisa menos a Palavra de Deus. E hoje nós temos essas mesmas nuvens sem água entre nós, se dizendo crentes, se dizendo ministros, porém eles criaram a sua própria mensagem e a sua própria doutrina, então são como nuvens sem água. Estão na festa conosco, mas usando suas próprias vestes.

Só o Meio da Estrada Leva a Deus

15 - Agora, o irmão Branham nos deu um esclarecimento seu sobre como ele interpretava essa parte da Escritura de Isaías 35 quando fala sobre a estrada e o caminho da santidade, porque ele fazia questão de mostrar que Isaías estava falando de duas coisas; primeiro de uma estrada e depois de apenas uma pequena parte dessa mesma estrada que seria chamada de “o caminho da santidade”, que se localizaria somente no centro dela. Portanto qualquer que tentasse andar em um dos lados dessa mesma estrada não chegaria ao seu destino. Somente andando no meio dessa estrada, no meio do caminho, é que o eleito chegaria até Deus, porque é somente o centro da estrada que conduz o crente para a santidade, e não toda a estrada em si.

16 - Todos sabem que é necessário chegarmos até Deus para sermos salvos, e é por isso que igrejas têm sido levantadas por toda parte para servirem como uma estrada que ligue Deus ao pecador, porém há um caminho certo que conduz o pecador à santidade que ele procura, e fora desse caminho não é possível alcançá-la. O centro da estrada é o ponto de equilíbrio, é o ponto da moderação, é o ponto de domínio. Ir para um dos lados é ir para o desequilíbrio e descontrole. De um lado está o crente cego, o fanático, aquele que ignora o verdadeiro sentido das Escrituras; do outro lado está o douto, o erudito, cuja erudição o torna frio e formal. Somente no meio do caminho é que o poder de Deus pode de fato operar e transformar um eleito e estabelecê-lo como um filho de Deus. Este era o ensino de William Branham. E nós vamos ler alguns sermões onde ele tenta nos explicar isso.

Experiências Espirituais Primitivas (13/07/1952) §§ 30-31 – sem tradução
Isaías disse: “Haveria uma estrada, e um caminho (“e” é uma conjunção.), e um caminho”. Não será chamado “a estrada da santidade”. Será chamado “o caminho da santidade”. Bem no meio da estrada, deste lado aí está isso... Algumas pessoas quando elas recebem o novo nascimento elas se colocam bem no meio do caminho, com os olhos em Cristo. (Ou seja, só no meio do caminho é que você irá se deparar com a chuva de Deus que é a Sua verdadeira doutrina, a doutrina de Cristo; mas se você for para os lados dessa mesma estrada, o que você encontrará serão as doutrinas dos homens que foram inseridas nessa estrada. O que a chuva de Deus faz é cair no meio dela para limpar o seu caminho tirando tudo aquilo que prejudica e causa dano, arrastando para os lados tudo aquilo que não serve. Portanto é somente no meio do caminho que você irá encontrar o novo nascimento, a regeneração e o batismo do Espírito Santo) Finalmente elas ficam por aqui, (ou seja, indo para um lado da estrada) com tanto conhecimento e sabedoria, até que, oh, eles sabem tudo. Você não sabe nada. E se você não fizer isso, você corre para o outro lado para um monte de fogo selvagem e fanatismo. Isso mesmo. Mas bem no meio do caminho segue um verdadeiro, perfeito e inadulterado Evangelho e o poder de Deus. Isso mesmo. Bem em frente por lá onde você pode levá-lo a reis e monarcas, onde qualquer pessoa pode parar e examinar, e eles podem ver que é o poder do Deus Todo-Poderoso, não um fanatismo ou nem uma formalidade. É o poder de Deus.

Os Lados da Estrada é Onde Estão os Ismos

17 - Portanto para qualquer um dos lados que um crente resolver seguir, ele se distanciará de Deus ao invés de se aproximar Dele, porque é ali que ele encontrará todos os tipos de ismos, que separam o homem de Deus em lugar de uni-lo.

Jesus Cristo é o Mesmo Ontem, Hoje e Eternamente (10/08/1952) § 7 – sem tradução
Então você pode simplesmente ficar um pouco distante, em ambos os lados da estrada, você não crê nisso? Eu creio em uma antiquada mensagem piedosa, bem em frente ao longo do meio do caminho. Os ismos estão em ambos os lados. Isso mesmo. Ele disse: “Haverá uma estrada”. E um monte de gente diz: “Essa é a estrada da santidade”. Huh-uh. A Bíblia diz: “Haverá uma estrada, e (“e” é uma conjunção) e um caminho, e ele será chamado “o caminho da santidade” (não a estrada), “o caminho da santidade’. Esse é o meio da estrada, o caminho na estrada.

O Diabo e os Seus Substitutos

18 - A razão de o irmão Branham dizer que nem toda a estrada é o caminho para a santidade, mas somente o meio dela, é porque o diabo também tem acesso a essa mesma estrada, e ele tenta interferir a passagem dos eleitos por ela, obstruindo o caminho com os ismos inspirados por ele, que são na verdade substitutos para o caminho do meio que Deus tem preparado para os Seus filhos transitarem. Esses substitutos são muito parecidos com o original que fazem com que muitos vão para os extremos. Portanto há dois espíritos muito parecidos atuando ao mesmo tempo nessa mesma estrada.

Eu Sou a Ressurreição e a Vida (10/08/1952) § 8 – sem tradução
Tudo que Deus tem feito, o diabo fez um substituto para isso, fez algo falso. (Isso porque ele é um personificador, um imitador) Vê? E essa é a razão pela qual os dois espíritos nos últimos dias vêm bem juntos, ao serem formais e fundamentais até que eles perdem o Espírito completamente (Vê?), assim. E alguns deles no lado radical vão direto para os ismos com isso, mas bem no meio do caminho fica a verdadeira Igreja de Deus, posicionada e cheia do poder de Deus. Aí é onde ela está.

O Canal de Deus e os Canais do Diabo

19 - Então veja que no meio do caminho está o único canal que leva o crente para o caminho da santidade, em direção à Cristo; porém é nos lados dessa estrada que Satanás coloca os seus próprios canais a fim de afastar o homem de Deus.

O Pecado Imperdoável (24/10/1954) § 41
As igrejas, quando eles organizam suas igrejas, as coisas que fazem, bloqueiam as bênçãos de Deus por suas teologias, e Deus não pode romper para abençoar o Seu povo. Eles têm suas igrejas tão formais, tão duras e tão engomadas que o Espírito Santo não pode entrar na igreja. E então quando o diabo vê que ele fez isto, e que alguém romperia de qualquer maneira, então ele lhes permite que abram outros canais que não eram o evangelho, e os mergulha no fanatismo. Isso mesmo. Vê? Ou eles se tornam um grupo de fanáticos ou um grupo de engomados. Mas no meio do caminho, ali está o Evangelho do Senhor Jesus Cristo.

20 - O irmão Branham disse em várias ocasiões que é preciso vigiar para não entrarmos nesses canais que o diabo cria, pois se ele não puder fazer de alguém um incrédulo ou um ateu, ele então pelo menos procurará dar a ele um substituto da Palavra para que ele se contente com isso, porém esse substituto somente poderá levá-lo para um dos extremos, bem distante do caminho do meio, porque é lá que está a doutrina, e é lá que está o caminho da santidade.

Redentor, Redenção (19/11/1955) § 45 – sem tradução
Cada homem que é nascido do Espírito de Deus, quando ele está estabelecido em Cristo, seus olhos estão no Calvário, bem no meio do caminho. Se ele é só um pouquinho emocional, a primeira coisa que você sabe, ele ficará aqui para um lado; e a primeira coisa, ele se tornará um fanático, se ele não vigiar. E se ele for um pouco engomado, instruído, ele ficará deste outro lado e será tão frio e duro, e engomado, que tirará todo o Espírito dele. Se o diabo não puder impedir de você ver a verdade, ele empurrará você para a extremidade profunda com isso. (dando a você, por exemplo, uma fé intelectual) Agora, eu acho que isso é exatamente o que aconteceu com a igreja pentecostal.

21 - Não só com a igreja pentecostal, mas também com os crentes da Mensagem.

Outra coisa que Satanás também irá fazer é tentar o crente na sua vaidade, dando a ele um intelectualismo para convencê-lo que é um sabe-tudo e um revelado. Ele tentará empurrar esse crente para um dos extremos da estrada a fim de perder o equilíbrio. E infelizmente nós temos visto pessoas nessa Mensagem atuando dessa forma, porque alguns estão totalmente enganados pensando que estão pondo os seus olhos em Cristo, quando na verdade estão pondo os seus olhos em si mesmos. Mas o caminho do meio fará o crente olhar para mais nada a não ser para o Calvário, e não para si mesmo ou para algum outro a fim de prejudicá-lo.

Queríamos Ver a Jesus (16/05/1957) § 21 – sem tradução
Quando um homem é convertido, seus olhos estão apontados em direção ao Calvário. Se ele é só um pouquinho nervoso, se você não vigiá-lo, ele passará para o lado fanático. Se ele é só um pouco estudioso, ele passará para o lado engomado. Mas bem no meio do caminho está a sensata, a sensível, a nascida de novo, guiada pelo Espírito, a favorecida Igreja do Deus vivo, indo em direção à Cristo. Essa é a verdadeira, vinda de ambos os lados. Um foi para um lado, e um foi para o outro, ou mostra fanatismo ou erudição e muito duro para se curvar. Eles sabem mais sobre a Palavra do que eles sabem sobre o Autor. (Ou seja, eles são nuvens sem água, porque eles só possuem uma fé intelectual da Letra, mas eles não têm o Espírito da Letra) Conhecer a Palavra não é Vida, mas conhecê-Lo é Vida: conhecê-Lo. Você não tem que ser um estudioso; você tem que ser uma pessoa submetida. E quando você se submete a Cristo, Cristo está obrigado a preencher essa vaga que você derramou sobre o altar para Ele. Ele está obrigado pela Sua Palavra a fazer isso, e Ele não deixará você.

Ficar no Caminho do Meio é Manter o Equilíbrio

22 - Veja que é por essa razão que transitar pelo caminho do meio, no centro da estrada, é que fará você encontrar um ponto de equilíbrio, longe de extremos ou de exageros, e era nesse meio do caminho que o irmão Branham andava para ter em seu ministério um equilíbrio em sua Mensagem e no seu ensino, pois é somente no meio da estrada que Deus vindicará a Sua Palavra como sendo a verdade.

Deus Tem um Caminho Provido (04/04/1954) § 162
Amigos, eu sempre tentei manter um equilíbrio do caminho. Salte em direção ao formalismo, tão formal e ritualístico quanto eles podem ser, e as pessoas se perdem todas por causa disso. Então se você não vigiar, você irá direto para o outro lado, e será tão fanático quanto pode ser. Mas há um meio do caminho, onde o verdadeiro, perfeito e sadio Evangelho é pregado, e Deus Se move por ali, vindicando a verdade. “Estreita é a porta, e apertado é o caminho, mas poucos haverão de encontrá-lo”.

Todo Ministério Fora do Caminho do Meio Está Acabado

23 - Nós já comentamos no estudo intitulado “Fogo Estranho”, que antes que um tabernáculo ou um grupo de fiéis abandone a fé genuína, a liderança é o primeiro a fazer isso. Por isso que para que uma igreja ande no caminho do meio, é necessário que primeiro os ministros se preocupem em fazer isso. Se ele andar fora do caminho do meio, não somente o seu ministério estará no fracasso, mas a vida espiritual de muitos que estiverem aos seus cuidados também estará. Os que ficam no meio do caminho mostram humildade e sujeição ao Espírito Santo; afastar-se desse caminho seria orgulho porque estaria andando por sua própria conta.

Apocalipse Capítulo Cinco Nº 2 (18/06/1961) § 21
Estamos agradecidos por nossos administradores. Estamos agradecidos por nossos diáconos. Estamos agradecidos por nossa congregação. E estamos agradecidos pelo nosso pastor. Estamos agradecidos por cada dom que Ele tem dado à igreja. E oramos para que Ele dê a estes homens compreensão, para que eles nunca saiam para o lado errado, mas que fiquem corretamente no meio do caminho com isto, nunca sejam exaltados (um sabe tudo) ou qualquer coisa; quando você o fizer, você está acabado bem ali. Vê? Apenas permaneça humilde com isto.

O Caminho do Meio Entre o Arminianismo e o Calvinismo

24 - Vamos analisar agora rapidamente apenas algumas aplicações que o irmão Branham fez sobre o caminho do meio para algumas questões. O irmão Branham aplicou esse seu princípio bíblico do caminho do meio para questões como a salvação e a santificação, por exemplo. Ele não era a favor nem do arminianismo, que ensina que você precisa fazer obras de justiça para se salvar, e nem a favor do calvinismo, que sugere que uma vez salvo isso dá liceidade para o crente pecar porque sua salvação está garantida. O irmão Branham cria na predestinação dos eleitos, de que os filhos de Deus por serem Suas sementes sempre foram salvos; porém ao mesmo tempo, o irmão Branham explicava que a insistência diária de uma vida separada era uma demonstração da sua eleição, pois o apóstolo Paulo disse que tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convêm ou nos edifica. Portanto um filho de Deus salvo nunca desejará fazer nada que seja errado.

Fuja Para Cá, Venha Depressa (02/02/1958) § 51 – sem tradução
E saber que estamos aqui esta tarde, apenas no fim do tempo, e todas estas grandes coisas acontecendo, e aqui estamos nós com segurança em Cristo. Sua vida prova isso. Agora, se sua vida não coincide com isso, você está enganado. Isso mesmo. Mas se você vê isso, entende, louva a Deus por isso, sua vida está cheia da justiça de Deus; não é difícil para você fazer algo que seja... Você não quer fazer nada de errado. Aí é onde as duas grandes escolas partiram para o fundo do poço, a doutrina arminiana. Você tem que fazer uma determinada coisa e fazer uma determinada coisa. Isso são obras. E do outro lado, os calvinistas, que foram para o “Bendito seja Deus, eu estou salvo, eu faço o que eu quero”. Vê? Mas é o meio do caminho. Se você O ama você não vai fazer nada de errado, como a sua esposa.

24 - Mas veja também que embora o irmão Branham não fosse nem calvinista e nem arminianista, ele admitia que houvesse um pouco de verdade entre cada um deles, ainda que tivessem ido aos extremos, enquanto o irmão Branham dizia que o melhor é ficar entre um meio termo entre os dois.

Deveis Nascer de Novo (19/06/1958) § 13 – sem tradução
Então, sem tentar dar um aperto em uma crença calvinista agora (vê?), eu não estou. Ao dizer isso saiba que eu estou falando a um - um povo legalista. Não é nada disso, porque eu sou um legalista também. Mas eu creio assim, que Calvino tinha alguma coisa, e assim o arminiano tinha alguma coisa. E ambos tinham alguma coisa, porém eles correram para as extremidades profundas disso. O calvinista diz: “Bem, eu estou salvo e só isso resolve”. Sua vida prova que ele não está, então ele não é salvo. E o legalista diz: “Eu tenho que fazer isso, e eu tenho que fazer isso, e eu tenho que fazer isso”. Então, se você não é nascido de novo você ainda não é salvo; então aí está você. Vê? É no meio, no meio do caminho, é onde nós temos que ficar.

26 - Agora, o arminianismo não trata apenas do ensino metódico de purgação e santificação do crente, mas também de que o homem possui livre-arbítrio para se salvar. Embora o irmão Branham falasse em livre arbítrio em seus sermões ele não dava a essa expressão o super poder que o arminianista procura dar. E parece que alguns nessa Mensagem ainda têm dificuldades para entender isso, de que o irmão Branham também andava no caminho do meio sobre essa questão, como o próprio irmão Lee Vayle nos explicou.

Quem é Este Melquisedeque? 12 (11/09/1988) § 80
Bem, eles dizem: “Bem, eu creio no livre arbítrio”. Eu quero que você encontre essa palavra na Bíblia – “livre moral” e “agência”. Eu estou com o Dr. Pink sobre isso. Você diz: “Bem, o irmão Branham usou”. Sim, mas ouça como ele a usou. Ele não a usou como o mundo aqui fora a usa.

27 - Agora, quanto à santificação que o arminianista incentivava para que todo o crente tivesse, isso tinha o apoio do irmão Branham, porém não da maneira como era ensinado por eles, de que você tem que se esforçar para ser santo. O irmão Branham dizia que isso irá depender da natureza de cada um. Ninguém precisa se esforçar por isso. Se ele for salvo, o Espírito Santo nele simplesmente irá produzir os Seus frutos; se fosse você que tivesse que se esforçar por alguma coisa, os únicos frutos que você poderia produzir seriam os da carne, assim como a única fé que você mesmo poderá produzir será a intelectual, e não a divina que vem de Deus somente. Então esse é o caminho do meio sobre a questão da santificação. Não é você que se faz de santo, mas é o Deus santo em você que te torna um.

Deus Ocultando-Se em Simplicidade, Então Revelando-Se na Mesma (17/03/1963) §§ 228-229, 234-235, 237-239
Existe um lado que é altamente intelectual, frio e indiferente, eles negam tudo lá. E os outros se colocam do outro lado, do outro lado com um bando radical de emoção, e negam a Palavra. Mas a Igreja realmente verdadeira fica bem no meio da estrada. Agora, se notar, ela tem o conhecimento bíblico do que Deus disse, e é suficientemente espiritual para ser quente no coração, e o caminho é exatamente este. (...) Agora, uma estrada de santidade, as pessoas tentam se fazer santas. E quando você tenta, é exatamente como eu disse antes, é como um… Seria como se um abutre tentasse colocar penas de pombo em si, para se fazer de pombo, quando sua natureza ainda é a de abutre. Está vendo? Ele, é… Seria como um corvo que tentasse enfiar penas de pombo, ou de pavão, e dissesse: “Veja, sou um belo pássaro.” Veja, é algo manufaturado. Mas um pavão não tem de se preocupar se vai ter penas de pavão ou não. O pombo não tem de se preocupar se vai ter penas de pombo ou não. Contanto que sua natureza seja a de pombo, ele terá penas de pombo. (...) A Igreja é o Corpo de Cristo. É um indivíduo, entre outros indivíduos que nasceram no Reino de Deus. Isso vem de dentro para fora. É vivido automaticamente. Não se pede para a ovelha produzir lã… ou manufaturar lã, quero dizer. A ovelha não tem de manufaturar lã. Ela diz: “Agora, meu mestre quer que eu produza lã este ano. Tenho de me pôr a trabalhar.” Não, a única coisa que ela tem de fazer é permanecer ovelha. Isso mesmo. A lã, na verdade, nasce automaticamente… Nasce. Nasce. Ela a produz porque… E não nos é pedido para manufaturar frutos. Devemos produzir fruto, veja, dar frutos. Está vendo? Devemos dar fruto. E enquanto você for uma árvore frutífera de Deus, com a Palavra de Deus, a Palavra de Deus vindicará a Si mesma. Dará fruto enquanto a Palavra estiver ali dentro. Jesus disse: “Se vós estiverdes em Mim, e a Minha Palavra em vós, pedi o que quiserdes e será feito.” Está vendo? Não se manufatura isto. Não se induz a isto. Simplesmente está aí, e segue adiante.

28 - Então esse era o caminho do meio que o irmão Branham ensinava sobre a questão da busca por santificação que o arminianista pregava. Se alguém não tem o Espírito Santo ele só poderá fingir, pois só o Espírito Santo em alguém é que poderá fazer com que ele frutifique para Deus.

O Caminho do Meio Entre a Trindade e a Unicidade

29 - Agora, o irmão Branham também cria no caminho do meio sobre a questão da Divindade. Ele dizia que tanto a unicidade estava errada, que faz do Pai o Seu próprio Filho e do Filho o Seu próprio Pai, como também estava errada a doutrina da trindade que tenta dividir Deus em três pessoas.

A Água do Batismo ou A Divindade Explicada (20/01/1961 ou 19/01/1961) § 74
Agora, há não muito tempo atrás – e talvez o mesmo homem possa ouvir esta fita algum dia, que eu, que – que isto aconteceu. Foi o irmão Scism da unicidade. Agora, vocês... Muitos de vocês que ouvem isto diriam: “O irmão Branham é um unicista”. Eu não sou. Eu acho que ambos estão errados, ambos a unicidade e a trindade. Não para ser diferente, mas é sempre o meio do caminho. Como Isaías disse; Isaías 35 disse: “Haverá uma estrada”. E vocês irmãos nazarenos, e assim por diante, vocês dizem. “A grande e antiga estrada da santidade”. Me perdoe. Ela não diz “A estrada da santidade”. Ela diz: “Haverá uma estrada e... (“e” é uma conjunção) e um caminho, e ele será chamado o Caminho da Santidade”. Não é “a estrada da santidade”. O “caminho” está no meio da leitura. Cada lado é onde os declínios são encontrados. É aí onde vocês unicistas foram para um lado, trinitários foram para o outro lado, mas a verdadeira mensagem se encontra no centro da estrada!

30 - Então veja que aqui o irmão Branham disse que ambas as doutrinas estão ao lado da estrada, porque ambas estão erradas em suas teorias. Porém aqui surge uma pergunta: se o profeta de Deus disse que essas duas doutrinas estão erradas, por que os nossos amados irmãos da Mensagem só gostam de combater a trindade? Você dificilmente verá um ministro da Mensagem combater a unicidade. Você nunca se perguntou por quê? A resposta é simples: porque eles não podem combater algo no qual eles mesmos acreditam. Eles não podem combater a doutrina da unicidade porque eles se convenceram de que essa é a Mensagem de William Branham. Mas eles conseguem fazer algo ainda pior do que crer nesse falso ensino, que é negar que eles creem, tentando te convencer que a reclamação do irmão Branham acerca dessa doutrina era só no tocante à mecânica do batismo. Porém eu tenho uma péssima notícia para dar para esses nossos irmãos: a mensagem da unicidade que eles encobertamente defendem é tão falsa quanto à trinitária que eles publicamente combatem, porque aqui o irmão Branham disse que ambas as doutrinas foram para o lado da estrada, que como ele já nos explicou, é onde ficam os ismos e os canais do diabo para afastar o eleito do original, porque a verdadeira mensagem que te leva para Cristo e Sua santidade está no meio da estrada e não para um de seus lados.

31 - As doutrinas da trindade e da unicidade são extremas, porque estão ao lado da estrada, e ao lado da estrada só o que você irá encontrar são ismos, que são os canais do diabo. Como então alguém pode afirmar crer na Mensagem e ao mesmo tempo andar fora do meio do caminho? No meio do caminho você tem a verdadeira mensagem, disse o profeta, que é onde está a chuva da doutrina que regou os rios dos ermos neste tempo do fim, mas se você for para qualquer um dos lados só o que você irá encontrar serão nuvens sem água. E são essas duas doutrinas que podem tornar alguém tanto engomado quanto fanático.

A Chuva da Doutrina Limpa o Meio da Estrada

32 - E se é no meio da estrada que a chuva da doutrina é derramada, então só o que você irá encontrar aos lados da estrada será toda a sujeira que estava no meio e que a água arrastou para aquelas beiradas. Era assim que o irmão Branham explicava.

Expectativa (07/02/1961) §§ 45-46 – sem tradução
Então eu deveria falar naquela manhã na classe dos homens. Eu estava sentado atrás do irmão Roy, e o irmão Roy disse: “Sabe, eu ouvi um homem dizer”, e esse era eu, “que o meio da estrada é o lugar”. Ele disse: “O meio da estrada...” Eu creio nisso. Deus disse em Isaías 35: “Haverá uma estrada”. Muitos de vocês, queridos nazarenos costumavam cantar: “A estrada da santidade”. Não. “Haverá uma estrada e (“e” é uma conjunção. Amarra a sua sentença junto) - e um caminho, e ele será chamado o caminho da santidade”, não é “a estrada da santidade”, “o caminho”. A estrada correta é construída de modo que a água lave o lixo para um lado ou para o outro...

33 - Quando uma boa estrada é construída, às vezes em alguns trechos ela fica levemente encurvada no seu centro para que quando cair a água da chuva, não fique empoçada, do contrário isso pode com o tempo provocar a erosão no asfalto. Então quando a chuva cai, a água desce e resvala para os lados arrastando a sujeira que estava no meio. Foi por isso que o irmão Branham disse: A estrada correta é construída de modo que a água lave o lixo para um lado ou para o outro”. Agora, de que lixo o irmão Branham aqui está falando? Das doutrinas da unicidade e da trindade e de qualquer outra coisa que fosse contrário à Palavra, como os modismos que naqueles dias estavam surgindo nas igrejas pentecostais e que ele dizia serem também substitutos da Palavra.

34 - Agora, como que Deus está lavando esse meio da estrada hoje? Ao derramar sobre o centro da estrada a chuva de Sua Palavra por intermédio do ministério quíntuplo. Os apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres, enfim, todos os ministros chamados por Deus estão exercendo o papel de faxineiros, limpando, varrendo, escovando. Deus manda a chuva de Sua Doutrina e eles fazem o resto; na verdade é Deus Quem faz tudo, mas Ele usa os Seus vasos. Então o que o ministério quíntuplo faz é lavar o meio da estrada com a água da doutrina para deixar o caminho limpo para o eleito passar.

35 - Porém como alguns preferem transitar pelos lados da estrada, devido a tanta imundícia acumulada, muitos acabam sofrendo acidentes na pista. E aí o mesmo ministério quíntuplo às vezes também acaba cumprindo o papel de SAMU, Corpo de Bombeiros, enfim, para tentar acudir e atender alguns feridos e acidentados na estrada, por causa das escórias unicistas e trinitárias que deixaram a pista perigosa e até intrafegável em alguns pontos. E às vezes o ministério quíntuplo também exerce o papel de SWAT ou forças especiais para combater os terroristas e as organizações criminosas heréticas que tentam largar suas heresias no meio do caminho. Em outras palavras, Deus com o Seu ministério quíntuplo está atento para deixar o meio da estrada limpo e asseado para você transitar com segurança.

Então ou você seria um frio e engomado ou um fanático na... Mas o caminho certo é no meio da estrada, bem em direção ao Calvário, direto na estrada. Então o irmão Weed se levantou e disse: “Um homem... Isso não é uma boa ética de condução”. Ele disse: “Se um homem dirigisse no meio da estrada, ele seria morto”. Ele disse: “Isso não é uma boa ética de condução”. Ele não sabia que eu estava sentado atrás dele. Toquei-lhe no ombro; eu disse: “É isso aí, irmão, você está tão materialista, você está...” Eu disse: “Nesta estrada você não volta atrás. É apenas um tráfego de um sentido único indo nessa direção”...

36 - Ou seja, ninguém vem no sentido contrário. Não é uma estrada de mão dupla, é de uma só via, só de ida, todos numa só direção. Ninguém vem do outro lado. Portanto nessa estrada, se você andar no meio dela você não será atropelado e nem atingido por alguém que pudesse vir no sentido oposto. Então nesse caminho da santidade você pode ir a 300 km/h, mas só se você for andar no meio dela. Se você quiser andar nessa velocidade para um dos lados da estrada, as escórias da unicidade ou da trindade farão você capotar. Você sofrerá um acidente e ficará no caminho. Os nossos irmãos da Mensagem estão passando por isso, eles escolheram correr em um lado da estrada pensando em evitar acidentes. Aqueles que têm medo de andar no caminho do meio, preferindo ir para um dos lados com medo de investigar a doutrina e descobrir que estão no erro, fazem isso só para evitar acidentes, sendo que é justamente em um dos lados dessa estrada é que os acidentes podem acontecer.

E assim... Ele é - ele é um irmão doce, simplesmente tão bom quanto poderia ser pensado...

37 - Ou seja, ele tinha um bom coração, embora ele fosse um trinitário, porque esse irmão era assembleiano. E a mesma coisa também se repete com muitos unicistas que igualmente possuem um bom coração. Porém como nós já estudamos em outra ocasião, a Noiva não tem a doutrina certa e o coração errado, ou o coração certo e a doutrina errada. A verdadeira Noiva de Jesus tem a doutrina certa e o coração certo, porque ela está no caminho certo que é o centro da estrada. Os lados dessa estrada estão sujos e poluídos, porém o meio da estrada está limpo e aberto porque é só ali que a chuva da doutrina é derramada. Porém eu já vi crentes dessa Mensagem me dizer que não se importariam em ter a doutrina errada desde que tivessem um bom coração, só para não ter que discordar dos seus grupos que estão errados em sua doutrina. Então eles estão preferindo andar em um dos lados da estrada, ao invés do centro.

Oh, que coisa, eles não - não os torna melhor do que Roy Weed. Mas foi simplesmente tão bonito, sabe, que ele disse: “Agora, dirija no meio da estrada e você irá colidir”. Eu disse: “Irmão Weed, não vamos colidir; estamos indo em uma direção reta. Simplesmente nessa direção. Nós não voltaremos de modo algum...”. É um bilhete de ida, eu estou feliz que eu o tenho, então, você não? Um bilhete de ida... Que o Espírito Santo revele através da Sua Palavra, creio que isso é verdade; ficamos certos com isso.

Hebreus Capítulo Um (21/08/1957) §§ 67-72
Agora, eu creio que existe o meio do caminho. O caminho, agora, muitas vezes... eu costumava ir à igreja nazarena. Que o senhor abençoe aquelas pessoas queridas. Metodistas antiquados e santificados; é o que eles são; a igreja de Deus, os nazarenos, os peregrinos da santidade e muitas daquelas boas igrejas santas. E eles cantavam um hino: Estou andando no Velho sublime caminho, Dizendo em todas as partes que vou, Eu prefiro ser um cristão antiquado, Senhor, Do que qualquer outra coisa que conheço. Bom. Maravilhoso. E depois eles costumavam falar sobre a estrada da santidade. Agora se você ler isto... Eles tiraram isto de Isaías capítulo 35. Agora, se você observar, ele disse: “Haverá uma estrada, e um caminho”. Agora, “e” é uma conjunção. Vê? Uma estrada, não era uma estrada da santidade. “Haverá uma estrada e um caminho e será chamado ‘o caminho da santidade’,” não a estrada da santidade. “O caminho da santidade!” E o caminho da estrada está no meio da estrada. Ela é construída assim para que então as águas lavem o lixo para ambos os lados, conservando a estrada limpa. (Lixos unicistas, trinitários e tudo mais) Se não for assim, você terá atoleiros na sua estrada o tempo todo; se ela não for construída corretamente. “O caminho” é o meio da estrada. Agora, deste lado, quando as pessoas se convertem, suas mentes são colocadas corretas em Cristo. E se elas são um pouco sábias, e não permanecerem sob oração, elas ficarão bastante frias, e duras, e inflexíveis e indiferentes. E então, se ficarem um pouquinho nervosas, se você não vigiar, elas simplesmente se tornam radicais e selvagens neste lado, veja, elas vão por sensações e tudo mais. Agora... Mas a verdadeira Igreja é o verdadeiro Evangelho sadio, bem no meio do caminho. Não é fria e dura; nem mesmo é fanatismo. É um velho Evangelho muito bom e quente, que sente no coração o amor de Deus; indo diretamente para o meio do caminho, chamando de ambos os lados. Isso mesmo. Agora isto é o que... e como você chegará a isso, Igreja? Direto da Palavra, o Urim e Tumim.  Agora, Paulo queria colocar esta igreja bem no meio do caminho, então ele foi estudou três anos nas Escrituras que ele conhecia. Portanto, Paulo escreveu a maior parte do Novo Testamento...

38 - Então o que são a doutrina da unicidade e a doutrina da trindade para William Branham? Nada mais do que sujeira e escória que é arrastado para os lados da estrada quando a chuva cai sobre ela. Então é isso que a água da chuva da doutrina faz. Ela limpa o caminho do eleito e predestinado, que fica no meio da estrada, para que ele possa andar em direção à Cristo, e ao mesmo tempo arrasta para os lados toda a imundícia e a escória e a sujeira unicista e trinitária.

Não Há Substitutos Para o Caminho da Santidade

39 - Além dessas doutrinas, o irmão Branham qualificava também como substitutos de Satanás todo o novo movimento espiritual e os modismos que estavam acontecendo em várias igrejas pentecostais e que não tinham nada a ver com o Evangelho de Jesus, que só levam ao fanatismo e ao formalismo. Certamente que a chuva da doutrina também arrasta tudo isso para os lados da estrada para deixar o seu centro limpo. E qualquer coisa que for ensinada nessa Mensagem que tenta substituir o que o irmão Branham ensinou, também são lavados para fora do meio da estrada pela chuva da doutrina.

Deus Mantém a Sua Palavra 1 (06/03/1957) §§ 24-25
O Dr. Roy Weed, o presbítero estadual das Assembleias de Deus, de Indiana, um dos meus amigos do peito de uma verdadeira igreja... um irmão. E aqui, há não muito tempo, o irmão Weed estava falando, e ele sabia que a minha posição era: Permanecer no meio do caminho. Nunca ir ao fanatismo, ou nunca ir ao formalismo, mas permanecer com a pura Palavra de Deus não adulterada, e construir sobre essa base sólida, e não aceitar nada, a menos que seja confirmado na Palavra de Deus. E eu lhe disse, no meio do caminho. Em uma Convenção de Negócios, recentemente, o irmão Weed, eu acho, não sabendo que eu estava ali, ele disse: “Eu ouvi o irmão Branham dizer: ‘No meio do caminho’.” Ele disse: “É claro que vocês sabem que não é a boa ética. Um homem que fica no meio do caminho pode ser atropelado.” Em poucos minutos, o mestre de cerimônia disse: “Irmão Branham, você tem uma palavra a dizer?” Eu disse: “Certamente que sim.” Eu disse: “Irmão, esses irmãos se tornaram tão terrenos que eles nunca poderão subir para ver o ‘Assim diz o Senhor’”. Esta estrada em que estamos viajando é uma estrada de sentido único; você não volta nela. Ou você vai com Deus, ou vai para os extremos, ou de um lado ou de outro. E a única maneira que você pode fazê-lo... Irmão, nós não precisamos de toda essa coisa formal que temos hoje, nós também não precisamos de todo esse fanatismo que temos hoje. Há muito do real e genuíno Espírito Santo, e os céus estão carregados com isto e não há necessidade de termos um substituto, e tentar chegar ao céu baseado em alguma sensação, quando a Palavra de Deus diz que você não pode fazer isso. Qual é a utilidade de aceitar um substituto? Nem juntar-se a uma igreja e colocar o seu nome no livro, ou ir até ali e entrar em algum tipo de coisa que você vai ter que saltar para cima e para baixo, ou correr óleo de suas mãos ou faces sangrentas, ou algo, quando essa coisa veio do inferno. Não está na Palavra de Deus. Se você crê que eu sou um profeta de Deus, receba a minha palavra e fique longe de tais coisas.

40 - Obviamente que tanto os trinitários como os unicistas se ofendiam com a aquela declaração do irmão Branham de que ambas as doutrinas estão fora da verdadeira Mensagem de Deus por serem extremadas, enquanto que a verdadeira Palavra de Deus fica no centro da estrada. Nesse meio da estrada não existem substitutos, pois todos os substitutos e ismos de Satanás são arrastados pela Doutrina para os lados, para que o filho de Deus possa transitar no meio dessa estrada em segurança e sem tropeços, sendo posicionado somente na Palavra e guiado pelo Espírito Santo. Somente aqueles que andam no meio do caminho é que podem se mover da maneira como o Espírito Se move, nem para direita e nem para esquerda. Nem para o lado fanático e nem para o lado formal.

A Visão de Patmos (04/12/1960) § 102 – sem tradução
Uma boa estrada que é construída, a maior parte está no centro, porque permite que todo o lixo seja lavado para ambos os lados. (E Deus fez isso conosco. Primeiro o lixo trinitário foi lavado de nossas vidas, e agora por último o lixo da unicidade) É isso. Quando um homem realmente vem a Cristo, ele tem os olhos centrados em Cristo. (Na doutrina de Cristo, e em mais nada) Se ele é um pouquinho emocional, ele será um fanático. Se ele é um pouco frio, ele ficará desse outro lado e será simplesmente um pepino, desse lado; veja, seu intelectual. Mas a coisa principal é bem no meio do caminho, com o Espírito suficiente em você, mantendo você aquecido e em movimento. Amém! E sabendo o suficiente para manter-se sob obediência ao Espírito, para se mover exatamente quando o Espírito Se move; nem antes e nem depois, da mesma maneira que o Espírito Se move.


Conclusão

A Pomba e o Cordeiro (25/03/1957) § 64 – sem tradução
E agora olhe o que a igreja tem feito. Ou ela saiu com um grupo de fanáticos, ou saiu com verdadeiros engomados e duros e não tiram nada disso. Mas, irmão, há o meio do caminho, onde o verdadeiro Evangelho é pregado e os – os verdadeiros sinais e maravilhas da Bíblia acompanham; um doce Espírito Santo conduz aquela igreja. Esse é o tipo de igreja para se ir, uma igreja inteligente, pregando a Palavra, posicionada sobre a Palavra, com um verdadeiro sermão do evangelho completo, do verdadeiro Espírito de Deus; tudo no Espírito, tudo é decente, todos em ordem, tudo em amor; esse é o tipo de igreja que nós queremos. (...) Nós apenas começamos a ficar um pouco arrogantes e diferentes em nossas igrejas; a Pomba voou para longe.

41 - Então conforme nós vimos em Isaías 35, uma promessa foi entregue para os filhos de Deus dizendo: Sede fortes, não temais; eis que o vosso Deus virá com vingança”, ou seja, Ele viria como um Juiz para julgar. Lembre-se que na parábola das bodas não foi o filho do rei que repreendeu aquele convidado que estava sem vestes nupciais, mas o seu próprio pai, o rei; da mesma forma é Deus mesmo Quem desceu e está aqui agora para julgar aqueles que rejeitaram Sua Palavra, não o Seu Filho. Mas ao mesmo tempo em Isaías também foi dito que Deus virá “com recompensa de Deus; Ele virá, e vos salvará”. Sabemos que Ele terá que vir para Israel algum dia no tempo dom fim, mas antes disso, Ele apareceu para nós os gentios, lá no rio Ohio, em 1933, vindicando um profeta com uma Mensagem precursora da segunda vinda de Cristo. Foi dito também em Isaías que quando a chuva de Deus enchesse os rios para tornar os campos e os desertos férteis, Ele mesmo desceria para acudir o Seu povo, dizendo os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão”. Pois foi a chuva da doutrina que tem feito isso conosco nestes últimos dias. Nós antes estávamos cegos e surdos andando pelos lados da estrada, dando ouvidos aos ismos, aos substitutos e aos canais do diabo, o que nos deixavam cegos e surdos. Mas depois que a chuva foi derramada, ela nos levou de volta à fé apostólica, e agora nós já podemos ver e ouvir e nos vestir com as roupas nupciais de festa e de alegria. E enquanto os sistemas dos homens aí fora prosseguem com a sua sequidão espiritual, nós nos fartamos com o manjar de Deus porque Ele tem nos visitado nestes últimos dias por meio de um profeta vindicado e nos entregou a Sua Mensagem que prepara uma Noiva para o Arrebatamento. Ele nos preparou também um caminho da santidade no meio da estrada para nos levar até o Seu reino. O imundo não passará por ele. Só os remidos andarão por ele. E os resgatados do Senhor”.

Então que a Noiva possa se manter sempre vigilante em sua marcha, sem sair do centro desta estrada, onde o verdadeiro Evangelho é pregado. E que Deus ajude a Sua Igreja no Nome de Jesus Cristo. Amém.