Pesquisar neste blog

quarta-feira, 6 de julho de 2016

leevaylenamiradoscriticos

Lee Vayle Na Mira Dos Críticos


Alguns irmãos e ministros têm me questionado sobre certas palavras do profeta que alguns críticos vêm utilizando para alegar que o irmão Branham estivesse repreendendo publicamente ao irmão Vayle por algum desvio doutrinário ou de ensino seu. A passagem que estão usando é a que segue abaixo, tirada do sermão “Cristo é o Mistério de Deus Revelado”, (28/07/1963) § 130:

“E você injeta algo Ali dentro, e isso não O faz ‘o mesmo ontem, hoje, e eternamente’ irmão Lee, para onde o irmão vai? O irmão tem um quadro horrível ali. Pois Ele era a história, veja. E Ele é o Profeta. Ele é os Salmos. Ele é tudo. E se você não pode fazer Dele tudo e o mesmo, como — com o que se parece o seu quadro? Vocês o vêem? [A congregação diz: ‘Amém’ - Ed.] Está bem”.

Bem, fazer uso dessas palavras do profeta só porque ele está falando com o irmão Vayle enquanto ele as pronuncia, alegando com isso que ele estivesse repreendendo pessoalmente a ele, é realmente uma atitude de muito desespero por parte dos críticos que buscam de todas as maneiras uma desculpa que justifique sua pirraça. Porém antes de analisarmos suas palavras, vamos repassar aqui as conjunturas que envolveram esse dia em que o profeta pregou esta mensagem.

Este sermão do irmão Branham foi pregado no dia 28 de Julho de 1963, e há exatas duas semanas antes, no dia 14 de julho daquele ano, o irmão Vayle também havia pregado um sermão no mesmíssimo Tabernáculo Branham. Nesse período do ministério do irmão Branham, os dois estavam muito próximos e o irmão Vayle recebeu um convite do irmão Neville para pregar no culto da noite, caso o irmão Branham não comparecesse. Porém mesmo o profeta estando presente, foi cedido ao irmão Vayle o tempo de 70 minutos para entregar a sua mensagem naquela noite intitulada “Por que Marcos 16 Não Tem Operado? E Como, De Acordo Com a Escritura, Fazer Operar?”. Naquela ocasião o irmão Neville introduziu o irmão Lee com essas palavras:

“Assim que eu perguntei ao Irmão Vayle, hoje à noite, se ele ministraria para nós, no caso de que o Irmão Branham não ministrasse. Porque ele se associou com ele nas reuniões, e ELE CONHECE ACERCA DO CAMINHO, ESTE CAMINHO... Por isso que se ele viesse hoje à noite e falasse para nós, eu teria o maior prazer em tê-lo para falar.”

O irmão Neville confirma aqui com suas próprias palavras de que o ir. Vayle estava associado com o irmão Branham auxiliando-o em suas reuniões e na ministração da Palavra. Três dias depois deste culto em que o ir. Vayle pregou, ele foi batizado pelo próprio profeta. (“Paulo, Prisioneiro de Cristo”, § 8) Portanto tudo isso mostra que naqueles dias o irmão Branham e o irmão Vayle estavam muito próximos desfrutando de um companheirismo contínuo e intenso, dentro e fora do tabernáculo, sempre conversando sobre temas doutrinários como o próprio irmão Vayle dizia:

“Eu não – talvez eu não tenha caçado com ele, mas com certeza tivemos alguns bons momentos juntos falando sobre doutrina”.
(“O Corpo do Senhor” § 99).

É por essa razão que o profeta faz menção do nome do irmão Vayle no sermão “Cristo é o Mistério” dias depois, uma vez que eles estavam sempre conversando sobre temas doutrinários e sobre os problemas envolvendo a Igreja naqueles dias. O irmão Vayle estava escutando o profeta na plataforma e com certeza aquelas palavras dirigidas ao ir. Vayle já faziam parte de suas conversas. No sermão “Cristo é o Mistério”, houve uma ocasião anterior a essa em que ele se dirigiu ao irmão Lee mencionando o seu batismo e o companheirismo que ambos estavam tendo juntos:

“E o Irmão Lee Vayle assentado aqui, eu creio que esteja tudo bem dizer isto, nós apenas... Ele havia descido, e este distinto batista erudito aqui tinha... Eu o batizei no Nome de Jesus Cristo, aqui no tanque outro dia, o irmão Lee Vayle. E deste modo ele é realmente um homem distinto, um irmão em Cristo. Ele já pregou para nós aqui antes, alta e intelectualmente educado, e além disso, UM HOMEM GUIADO PELO ESPÍRITO”. ...
(“Cristo é o Mistério de Deus Revelado”, § 43)

Quão contraditório dizer que o irmão Branham estaria minutos depois repreendendo o seu associado a quem anteriormente disse ser guiado pelo Espírito. Nos parágrafos seguintes, o irmão Branham menciona uma conversa que ele teve com o irmão Lee no Blue Boar, e depois em sua própria casa junto com a irmã Meda, mostrando o quanto ambos estavam unidos em companheirismo. Porém mais contraditório ainda é quando lemos os relatos do profeta sobre sua conversa com o irmão Vayle no Blue Boar, onde Lee em defesa do profeta, pergunta-lhe por que permitia que certas pessoas zombassem dele sem repreendê-las, e o profeta lhe explicou que a mesma coisa aconteceu com Davi quando foi amaldiçoado dizendo que o Senhor havia permitido aquilo. Se o profeta não repreendia os que lhe perseguiam, nada seria mais contraditório vermos depois ele repreendendo a um associado seu.

Com esses dados preliminares, percebe-se que tais alegações somente poderiam ser produzidas por uma mente poluída e que não foi batizada pelo Espírito Santo, pois nem a jumenta de Balaão se confundiria com isso. Portanto aqueles que usam essas palavras do profeta alegando que ele estaria repreendendo publicamente o seu associado, mostra estar não somente confuso, mas com um espírito errado, o que demonstra também serem impossibilitados a fazer um juízo justo sobre qualquer outra coisa que o profeta possa mencionar nesse ou em qualquer outro sermão. Não é novidade saber que existem tais pessoas que distorcem as palavras do profeta, uma vez que eles o fazem todos os dias ao tentar torcer a sua doutrina fazendo o profeta dizer o que eles querem. Eles estão confusos e querem confundir aos outros.

Quando se tira as palavras do profeta ou mesmo da Bíblia de seu contexto pode-se alegar qualquer coisa. Sempre que alguém possuir uma dúvida sobre um texto qualquer, basta contextualizar aquelas palavras com o restante dos parágrafos, porque o profeta era um exímio arquiteto; ele construía as bases de cada argumento seu; ele colocava os alicerces para depois “construir” por cima deles. Portanto embora ele fugisse algumas vezes do seu tema, ele nunca perdia o foco da ideia que ele estava desenvolvendo para que sua audiência compreendesse o que ele estava dizendo.

Agora vamos refletir nas palavras do profeta onde ele novamente se dirige ao irmão Vayle. Neste caso, bastaríamos ler um pouco antes, a partir do § 124:

“Por isso é que nós temos quadros hoje que parecem horríveis. Dizem: ‘Nós somos crentes’, e a vaca comendo grama no topo da árvore. Não funciona. É quando eles dizem: ‘Sim, Ele é sob todos os aspectos, porém somente de uma certa... Ele é o mesmo ontem, hoje, e eternamente; tudo menos uma certa coisa’. Está vendo? Então você arruína o seu quadro.
A Bíblia disse que Ele é o mesmo! São João 5, ou São João 14:12, Ele disse: ‘aquele’, aquele, qualquer um. ‘Aquele que crê em Mim, também fará as obras que Eu faço’.
        ‘Bem, isso foi para uma outra era’.
Aí você tem o seu quadro errado de novo. Você tem um homem pescando no deserto, peixe, num monte de areia quente onde não há peixe. Está vendo? Veja, você tem que trazê-lo de volta aonde ele pesque, na Galiléia, onde há muito peixe, veja você. Está vendo?
Você – você tem que fazer o quadro parecer correto. É o grande quadro de Deus. E há somente uma maneira que você o verá, isso é quando você vê a Jesus Cristo. Aí está a Bíblia inteira. Ele é o tema principal da Bíblia.
Agora, vocês perceberam que de qualquer um destes lugares aqui vocês poderiam tomar um texto. E é simplesmente difícil para um pregador ficar quieto. Parece que ele deseja continuar com isso. Mas vocês têm de voltar àquilo que estamos ensinando.
Ele é o tema principal da Bíblia. Ele estava nos profetas. Ele estava nos Salmos. Ele estava na história da Bíblia. A Bíblia é um Livro profético. É um Livro histórico. É um Livro de amor. É um Livro de – de cânticos. É um Livro de Vida. E ali dentro você encontra a Cristo. Ele estava nos profetas. Ele estava nos Salmos. Ele estava na história. E Ele também, na Bíblia, é as coisas que hão de vir. Deste modo, Ele era antes e muito depois. O que isso faz Dele então? ‘O mesmo ontem, hoje, e eternamente’.
E você injeta algo Ali dentro, e isso não O faz ‘o mesmo ontem, hoje, e eternamente’, irmão Lee, para onde o irmão vai? O irmão tem um quadro horrível ali. Pois Ele era a história, veja. E Ele é o Profeta. Ele é os Salmos. Ele é tudo. E se você não pode fazer Dele tudo e o mesmo, como – com o que se parece o seu quadro? Vocês o vêem? [A congregação diz: ‘Amém’. - Ed.] Está bem”.

Aqui o profeta está mencionando os que negavam que Jesus era o mesmo, negando, por exemplo, que Ele ainda cura hoje e batiza com o Espírito Santo, e que também não criam que o mesmo Deus que estava nos profetas da Bíblia estava naqueles dias outra vez em um profeta vindicado por Ele. Segundo o profeta, isso é pintar um outro quadro de Jesus, diferente do que a Bíblia mostra. E nas palavras do profeta, o quadro distorcido que pintam Dele é “horrível”, pois acrescentam outra ideia diferente sobre Deus e de como Ele Se manifesta. Se eles não creem em Hb 13:8 como poderiam aceitar, por exemplo, que Deus estava outra vez ali em carne humana, na manifestação do Filho do Homem? Sendo assim, estão pitando um outro quadro Dele.

Agora, se estão usando essa passagem para dizer que o irmão Lee está pintando um outro quadro “horrível” de Jesus injetando outra ideia, isso já seria uma apelação desesperada, porque o profeta nunca pregou nenhum sermão para combater alguém pessoalmente. Estariam dessa forma colocando outras palavras na boca do irmão Branham, o que aliás, é o que eles mais fazem. ELE NÃO ESTÁ AQUI DE MODO NENHUM SUGERINDO QUE O SEU ASSOCIADO ESTIVESSE INJETANDO ALGO À ESCRITURA. Nunca o irmão Vayle injetou algo que negasse Hb 13:8. É certo que o profeta não está aqui insinuando que o irmão Vayle fizesse isso. Em seu livro “O Profeta do Século XX”, § 29 Lee Vayle escreveu:

“Sendo que Deus não muda como diz a Escritura: “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente”

Portanto o irmão Vayle não injetou nada contrário a essa Escritura que o irmão Branham lhe mencionou. Ele não pintou um “quadro horrível” negando a verdade bíblica de Hb 13:8, uma vez que ainda em seu livro mencionou que o próprio ministério de cura do irmão Branham estava cumprindo aquela Escritura:

“Sendo um crente firme em toda a Palavra de Deus, e estando firme no fato de que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente, não vacilou em orar pelos enfermos”.
(“O Profeta do Século XX”, § 124)

Em seu relato de um grande milagre ocorrido nas campanhas Branham em Durban, África, o irmão Lee escreveu:

“Quando ele chegou à plataforma, o irmão Branham viu uma visão a este homem erguido e completamente normal, são totalmente pelo poder de Deus. Havendo tido esta visão, ele desafiou aos idólatras e aos incrédulos a aceitar ao Senhor Jesus Cristo se este homem fosse curado instantaneamente. Multidões conheciam a este homem e sabiam de sua terrível condição, às diferentes tribos, e todos eles estiveram de acordo que se este homem fosse curado no Nome do Senhor Jesus Cristo, então, sem dúvida que JESUS ERA DEUS. Tão logo que o irmão Branham orou, o homem ficou de pé tão normal como qualquer outro homem. Com o povo se regozijava e louvava a Deus!”.
(“O Profeta do Século XX”, § 142)
“A Palavra é Deus. Assim sendo a Palavra Manifesta [Deus] na presença de Abraão discerne os pensamentos e as intenções daqueles ali presentes. Esta mesma manifestação foi a que o Filho [Deus] fêz na terra. Por este sinal os eleitos lhe reconheceram como o Messias”. 

(“O Profeta do Século XX”, §§ 75-76)

Portanto ao dirigir-se pessoalmente ao irmão Vayle, o irmão Branham não estava alegando que ele próprio estivesse injetando algo diferente ao Evangelho, mas apenas dizendo-lhe o quão errado estaria alguém que o fizesse, talvez endossando ali alguma palavra dita pelo próprio irmão Vayle há duas semanas atrás naquela mesma plataforma quando pregou; afinal o profeta disse naquela ocasião que após tê-lo ouvido, anotou temas que dariam para pregar uns 20 sermões (Humilha-te, § 73), e quem sabe até mesmo aquele sermão “Cristo é o Mistério” poderia ter sido um desses.

Neste sermão o profeta salientou a importância do verdadeiro crente renunciar aos seus próprios pensamentos e opiniões para aceitar a Palavra da forma como Ela é:

“Mas um homem verdadeiro é um que perde os seus próprios pensamentos e sua própria opinião!”
(“Cristo é o Mistério de Deus Revelado”, § 222)

Não há dúvidas de que um dos motivos do irmão Branham ter se dirigido ao irmão Vayle com respeito a esse assunto foi porque ambos conheciam pessoas que estavam fazendo isso; esse também era um dos problemas que com freqüência era mencionado nas suas conversas entre eles, e essa também havia sido uma preocupação freqüente do irmão Vayle naqueles dias. Em seu sermão “FÉ E CONFISSÃO” pregado em 1965, quando o profeta ainda estava vivo, ele chamou a atenção para o povo da Mensagem salientando o que o irmão Branham havia dito de não inserir nenhuma ideia ou pensamento pessoal de suas mentes à Palavra de Deus:

“Abraão teria voltado atrás. Ele teria se desviado, e isso é o que há de errado com as pessoas que são cristãs hoje – assim chamadas e realmente. Elas se desviam porque elas pensam os seus próprios pensamentos. Mas Deus já tinha pensado Isso. E ainda assim elas dizem o que têm pensado em suas próprias mentes. E depois vão bem para trás. Elas perdem a promessa”. (...)

“Então você tem que andar com Deus, e você nunca andará com Deus, a menos que você ande nesta Palavra. E você nunca andará nesta Palavra, a menos que você encha a sua mente e a sua boca com Ela, porque é isso que a Bíblia ensina”. (...)

“Ouça, esta é uma Lei que Deus estabeleceu, e que Deus ouve a esta e somente esta: Afaste-se dos homens; livre-se de sua própria opinião, e, acima de tudo, corte a sua língua, a menos que ela diga o que Deus diz”. (...)

“Diga o que Deus disse ou cale-se! Nossos púlpitos estão cheios de pensamentos dos homens, de tudo menos do que Deus disse. Que não haja isso em nosso meio. Deixe isso só; faça o que Deus disse”. (...)

“Deus, ajude as pessoas a verem isso. Ajude-as a compreender, Óh Senhor, que a ação sai de pensar e de falar, porque o homem não pode agir a menos que ele pense e o seu falar argumente o seu pensamento. Então ele andará realmente torto ou podre, se ele pensa quaisquer pensamentos, menos os Teus, e fala sobre qualquer coisa, exceto a Tua Palavra. Mas, Senhor, se Tu encheres a sua mente e a sua boca com a Tua Palavra, ele andará em linha reta como uma seta, bem na Palavra de Deus. Óh Deus, ajude o Teu povo a ver isso. E, se alguém anda nessa Palavra, Senhor, sabemos que ele irá no Arrebatamento também”. (...)

Por conseguinte, aqueles que estão usando esse sermão alegando que o profeta estivesse repreendendo o irmão Vayle injetando algo diferente à Escritura, estão cegos demais para perceberem que são eles mesmos que estão fazendo isso, ao injetar um outro sentido às palavras do profeta. Agora, se o leitor resolver perguntar por que isso está acontecendo dentro da Mensagem, onde alguém usa palavras do profeta distorcendo o sentido delas para espalhar veneno entre os irmãos, saiba que o próprio sermão que eles estão utilizando para desferir essas mentiras contra o irmão Vayle os desmascaram:

“Amem uns aos outros acima de tudo. Amem uns aos outros. Não... Não importa o que o diabo tente dizer! Agora vocês todos formam um grupo dócil bem grande. Mas LEMBREM-SE DA MINHA ADVERTÊNCIA. Veja, SATANÁS NÃO DEIXARÁ ISSO FICAR DESSA MANEIRA. NÃO, SENHOR. ELE ATIRARÁ EM TUDO, mesmo que ele tenha que introduzir alguém para fazer o alvo dele. ELE INTRODUZIRÁ ALGUM CRÍTICO OU INCRÉDULO, e o fará se assentar, e o fará ter companheirismo com vocês na quietude e coisas assim. E então ELE INJETARÁ ESSE SUJEITO COM ALGUM TIPO DE COISA VENENOSA, e ele começará a ir com isto pela igreja. Não tomem partido disso. Não tenham nada a ver com nenhuma destas coisas. Permaneçam bem amorosos e dóceis e amáveis uns para com os outros. Orem por esse homem, ou essa mulher, ou seja quem for. Que eles sejam salvos também. Apenas orem por eles. E apeguem-se uns aos outros”.
(“Cristo é o Mistério de Deus Revelado”, § 80)

O irmão Vayle conheceu perfeitamente o poder deste veneno que seria injetado dentro do Corpo de Cristo, pois ele mesmo foi alvo a vida toda de tais “irmãos” peçonhentos:

“E eu tenho um osso para roer com os pregadores. Porque sou detestado com fúria por todo o mundo. UM HOMEM CARREGOU UMA ARMA – TENTOU ME MATAR – e eu era o diabo e ele era Deus. Porque ELE ESTAVA COM CIÚMES PORQUE EU PODIA ME ASSENTAR COM O IRMÃO BRANHAM. Eu até mesmo o persuadi a sentar-se do lado dele, porém isso não foi o bastante. Ele queria assumir o comando. Só um homem uma vez veio e se desculpou e disse: ‘Lee, EU ESTAVA COM CIÚMES POR CAUSA DA SUA POSIÇÃO JUNTO AO IRMÃO BRANHAM’. Você diz: ‘O pensamento do irmão Vayle fede’. Sobre o que você acha que estou falando? De rosas? Não estou falando de arcanjos e dos redimidos no Milênio, estou falando sobre nós”.
(“Princípios do Amor”, § 59).

Agora, que fique bem entendido que esse pregador que carregou uma arma para tentar matar o irmão Vayle era um MINISTRO DA MENSAGEM. O profeta disse que Satanás tentaria “atirar em tudo”, ou seja, usar de todos os meios possíveis para tirar a docilidade do Corpo de Cristo. Porém como nos lembrou o profeta, há várias maneiras de se tentar matar alguém, não somente com atitudes extremas como o uso de armas de fogo, mas também com palavras com o intuito de matar a influência daquele ministro, e o motivo é um só: CIÚMES. E hoje vemos também ministros e irmãos que não sabem agir como Davi, que mesmo perseguido por Saul não o agrediu ou lhe perseguiu, e quando cortou uma de suas vestes arrependeu-se profundamente por tê-lo feito.

Este veneno que tem se espalhado em todo lugar, visa apenas desafiar e provocar os irmãos estimulando contendas uns contra os outros. É o diabo atirando em tudo e de todas as formas. E neste mesmo sermão “FÉ E CONFISSÃO”, o irmão Vayle fez eco aos alertas do profeta de Deus entregue naqueles dias:

“Agora, nosso falar nos confirma nos caminhos certos ou errados, seja qual for o caminho em que nós estivermos isso nos será confirmado pelo nosso falar. E voltamos para o Salmo 140:1-3:

‘Livra-me, ó Senhor, do homem mau; guarda-me do homem violento, que pensa o mal no coração;(Agora observe: isso é de onde eles estão pensando) continuamente se ajuntam para a guerra. Aguçaram as línguas como a serpente; o veneno das víboras está debaixo dos seus lábios’.

Pare: pense sobre isso. COMO VOCÊ DESTRÓI UM HOMEM? QUAL É A MELHOR MANEIRA? INVENTE UMA HISTÓRIA SOBRE ELE. VOCÊ QUER MATAR O MINISTÉRIO DE UM HOMEM? INVENTE UMA HISTÓRIA. Você quer destruir um homem da política ou de qualquer outra posição? Invente uma história. Isso é o que diz aqui. Ele disse: ‘Livra-me... do homem mal. Guarda-me do homem violento’. Observe! A violência é o quê? A IMAGINAÇÃO DO CORAÇÃO QUE É MAU, O PENSAMENTO QUE É ERRADO, eles se reuniram para a guerra. É o VENENO da víbora em seus lábios. Como se lê no versículo 11:

‘Nenhum caluniador se estabeleça sobre a terra; o mal perseguirá o homem violento até que seja desterrado.’

Deus diz que o fim destes homens será a destruição, mesmo que eles façam o seu melhor para destruir outro homem. Em outras palavras, quando eles se levantam em juízo e destroem com sua língua, NÃO FAÇA NADA SOBRE ISSO. Diga o que Deus diz sobre isso; mas NÃO TENTE SUAS TÁTICAS OU VOCÊ SERÁ DESTRUÍDO. Porque ele diz claramente aqui: ‘Nenhum caluniador se estabeleça sobre a terra’.”

Que não haja esse veneno mortífero em nosso meio. Nada podemos fazer para evitar de esse veneno ser semeado por outras línguas, mas podemos evitar de transportá-lo com as nossas.

Diógenes Dornelles