Pesquisar neste blog

quarta-feira, 6 de julho de 2016

espiritosenganadores

Espíritos Enganadores

15 de maio de 2015

Viamão-RS

Diógenes Dornelles

1 Timóteo 4:1-2
Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência.

Todo o Apóstata Teve o Seu Contato Com a Fé Genuína

Nestas palavras de Paulo a Timóteo, podemos observar que não seria possível que alguém apostatasse de uma fé, sem que antes tivesse recebido tal fé para então depois rejeitar. Paulo então não pode estar aqui negando que esses que algum dia apostatarão não teriam nenhum tipo de contato com a fé verdadeira; pelo contrário, eles terão, mas depois de algum tempo, após ter tido contato com ela e até confessado, eles a abandonarão. Eles teriam um conhecimento apropriado da Palavra; eles passariam por uma instrução adequada e correta da doutrina, mas em algum momento eles se afastariam de tudo isso. Entretanto, nem sempre esse abandono da fé por alguém chega a ser visível externamente. É importante que se diga que não é preciso alguém abandonar uma fé e depois combatê-la abertamente para caracterizar uma apostasia. Alguém pode ser um apóstata mesmo alegando estar defendendo a fé que ele na verdade rejeitou. Seria uma espécie de apostasia sutil, porque ela é quase imperceptível. Neste caso essa pessoa seria então uma espécie de apóstata dissimulado. Neste caso ele modifica um pouco a doutrina sem admitir isso. Então para um desavisado, ele estaria crendo e confessando a fé bíblica, quando na verdade estaria defendendo uma fé ou mensagem hibridada, e isso seria uma apostasia da mesma maneira.

Nós dissemos no estudo “O Emprego da Força Para Entrar no Reino” de que alguns chegam a obter a fé correta e depois a perdem ao buscar por outras coisas.

Identificação (16/02/1964) § 201
Agora, às vezes a fé é desconhecida para você. Você a tem e você nem sabe disso. Se você tentar empurrar-se em alguma coisa, você a perde. Você passa por cima dela de tão humilde e simples. Vê?

Ou seja, o apóstata a desconsidera por não dar mais a devida importância a ela. Nós já demonstramos em várias ocasiões o que o irmão Branham ensinava sobre a diferença entre a fé intelectual e a fé revelada que vem pelo Espírito Santo. Com isso o irmão Branham cria que era possível que alguém tivesse uma fé correta e verdadeira mesmo sem ter a revelação que o Espírito Santo dá, que resulta em uma mudança de vida e de caráter.




A Verdade Sem o Espírito Está Morta

A fé intelectual pode ser verdadeira, mas ela jamais produzirá vida, porque a Verdade sem o Espírito Santo está morta.

Mostra-nos o Pai e Isso nos Bastará (11/06/1953) § 57 [sem tradução]
Paulo disse: “Eu quero conhecê-Lo no poder da Sua ressurreição. Quando Ele chama, eu sairei de entre os mortos”. Essa é a coisa mais importante: no poder da Sua ressurreição, não em alguma doutrina fundamental de uma coisa ou outra; isso está tudo bem, irmão. Mas a Verdade sem o Espírito está morta. Isso mesmo. Você tem que ter o Espírito por trás disso. Isso é verdade.

Em outro sermão ele vai dizer algo quase parecido com isso.

Fale a Esta Rocha (12/05/1953) § 32 [sem tradução]
A Tua Palavra é a Verdade, Senhor. Agora, a Palavra sem o Espírito está morta. Mas germine essa Palavra com o Espírito esta noite, e possa ela produzir cem vezes mais.

Então aqui o irmão Branham está lhe dizendo que alguém pode ter a verdade ou a Palavra de Deus sem ter o Espírito Santo, que é o que vai fazer a Vida da Palavra frutificar nele. Então mesmo que alguém consiga ter acesso à verdadeira doutrina de Cristo, isso não significa que ele tenha aquilo que é o mais importante, que é Cristo ou a Vida de Cristo vivendo nele, porque nenhum conhecimento doutrinário sobre Deus e o Seu Filho lhe dará passagem para o Milênio, a não ser a própria Vida do Filho de Deus vivendo no crente.

Quem Tem o Filho Tem a Vida

Muitos pensam que basta crer em uma doutrina ou fé ou ainda pertencer a algum determinado grupo para se ter a vida eterna, e tal pensamento pode até estar amparado nestas palavras de Jesus:

João 3:36
Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.

É possível alguém crer no Filho sem ter o Filho. Então alguém pode ler isso e dizer: “Eu creio em Cristo e em Sua doutrina, então eu tenho a vida eterna”. Porém isso que Jesus disse deve ser lido junto com as palavras do apóstolo João.

1 João 5:12
Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.

Veja que aqui João não está apenas dizendo em crer, mas ter o Filho. Creio que o que fez João dizer isso foi fruto da sua experiência como ministro do Evangelho, que é a mesma experiência e conclusão que o irmão Brian chegou após visitar tantos países pregando a doutrina de Cristo. João deve ter visto muitos se dizendo cristãos só por terem crido na doutrina e aceitado o Evangelho, sem porém terem de fato recebido a Vida de Cristo em suas próprias vidas. João presenciou pessoas se dizendo crentes, mas que ao mesmo tempo perseguiam e caluniavam os irmãos. Por isso que ele disse:

1 João 3:15
Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.

Lembre-se que o irmão Branham disse que você não precisa de uma arma para matar alguém, basta matar a sua influência. Portanto o que o apóstolo João estava dizendo com isso é que estes que diziam crer na doutrina, mas que difamavam de seus irmãos eram na verdade apóstatas. Eles podiam ter a Palavra e a Verdade, mas eles não tinham o Espírito por trás Dela, e como vimos o irmão Branham explicando, a Verdade ou a Palavra sem o Espírito está morta.

Portanto além de crer em Cristo você precisa também tê-Lo, e embora alguns aleguem fazer tudo isso, seus frutos e sua vida provam que não. Como já vimos em diversas literaturas do irmão Brian que traduzimos, ele sempre nos lembra que essa palavra “tem” foi traduzida do grego “echo”, que tanto no inglês como no nosso idioma em português, “eco” significa ecoar ou refletir; portanto aquele que se diz crente na doutrina de Cristo deve ecoar e refletir a Vida e o Espírito de Cristo em seu próprio viver.

Imagens de Cristo (25/05/1959) § 44
Alguns dizem que se você colocar uma imagem de Cristo em seu carro ou sobre sua parede, isso é um sinal de um cristão. Bem, essas coisas são todas corretas, mas eu não creio que colocar uma imagem te faz um cristão. Eu creio que ser uma imagem de Cristo te faz um cristão. Não é o que fazemos externamente; (Ou seja, não é pelo tipo de doutrina que você publicamente confessa, não é pelo grupo a que você pertence e nem por causa do líder religioso que você segue) é o que aconteceu internamente que te faz um cristão. Portanto, se Ele é nossa imagem e somos feitos à Sua semelhança, e membros de Seu corpo, deveríamos ser imagens como Ele. Então nossas vidas deveriam refletir a imagem de Cristo, não a nossa junção à igreja ou o colocar um crucifixo, ou nossas emoções. Mas deveria ser a Presença viva do Deus Vivo refletida através de nossas vidas.

Porém no grego a palavra “eco” na verdade não possui exatamente o sentido de ecoar ou refletir, mas significa literalmente “agarrar ou segurar em algo”; também possui o sentido de “estar estreitamente unido a uma pessoa ou a uma coisa”. Então o que João está dizendo é que não basta você crer em Cristo, mas você precisa estar realmente unido a Cristo e ser um com Ele em pensamentos, palavras e ações.

Então somente o Espírito de Cristo no crente é que pode dar vida à doutrina que ele professa. O irmão Branham ensinava que é possível alguém ter a doutrina correta e mesmo assim ter um espírito errado, pois ele mesmo ainda não morreu para si. Para que a verdade ou a doutrina que ele confessa produza vida, ele precisa primeiro morrer para si mesmo. Alguém pode ter um conhecimento correto, e esse conhecimento ser ao mesmo tempo um conhecimento morto, se não produzir os devidos frutos. Ele poderá até ter uma fé que seja verdadeira e genuína e mesmo assim ser um falso, porque um “crente” nestas condições pode fazer qualquer coisa. Ele poderá mentir, perverter, caluniar, perseguir; ele pode até condenar alguém, mesmo tendo concebido intelectualmente uma doutrina que esteja correta, porque como ele não tem o Espírito Santo, ele se deixou seduzir por algum espírito estranho, o qual fez com que ele se afastasse.


Tudo é Governado Por Espíritos

E foi exatamente isso que Paulo disse que aconteceria com alguém que abandonasse a fé genuína, que é quando ele se deixa ser guiado por outros espíritos, que não passam de espíritos enganadores.

...apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores...

Então é assim que começa a apostasia. Na medida em que alguém não possui o verdadeiro Espírito por trás da Palavra para vivificá-La, um outro espírito poderá encontrar o seu caminho para tentar combatê-La, ou pelo menos hibridá-La, ungindo alguém para adaptar a Palavra à sua maneira pessoal de crer e de pensar. E como disse o irmão Branham, tudo no mundo sempre girou em torno de espíritos.

Testemunho (28/11/1963) §§ 25-26
Deus nos tem colocado, cada um, no Corpo, para fazer certas coisas. E eu observo cada pequeno movimento, cada objetivo, cada motivo, porque tudo é governado por espíritos. Esta igreja foi colocada aqui com um propósito. Há um espírito por trás desta igreja. (Cada lugar que é escolhido para se ter reuniões é guiado e conduzido por um espírito, e eu afirmo que nem todos os tabernáculos onde se prega a Mensagem têm o Espírito Santo por trás deles, pois alguns são levantados somente por causa de divisão, inveja, oposição e discórdia) Certamente. Há um espírito por trás do seu lar, (Se o Espírito Santo tem lugar em um lar, então a atmosfera criada será sempre a do amor e respeito, do temor a Deus, da paciência nas provações; mas se na tua casa há brigas e contendas, saiba que há um espírito lá fazendo isso, e não é o Espírito Santo. Você até pode ter o Espírito Santo, mas se alguém mais que mora com você não tiver, certamente haverá um conflito.) por trás de cada edifício. Por trás de tudo há um espírito, motivo e objetivo. Se esta igreja vem até aqui para grandemente exaltar algum sistema humano ou algo assim, então seu motivo não está correto; (porque o espírito que está por trás dela é de algum homem apenas ou mesmo demoníaco. Uma igreja que procura exaltar o ministério de algum homem e os seus feitos ao invés de Cristo e do que Ele fez pela Igreja, estará sendo guiada por um espírito errado.) mas se ela estiver colocada aqui para tentar alcançar alguma coisa para o Reino de Deus, então o motivo e o objetivo, ambos, estão corretos, se os motivos estão assim direcionados.

O irmão Branham dizia que os homens morrem, mas os espíritos que estavam sobre eles não. Os espíritos que enganaram os homens no passado, são exatamente os mesmos espíritos que enganam os cristãos de hoje.

Doutrinas de Demônios

Então voltando ao que foi escrito a Timóteo, Paulo nos fala de uma apostasia que diz respeito à mudança e afastamento dos crentes de uma revelação centrada em Cristo para uma revelação centrada em alguma outra coisa como substituto, e ele disse que são espíritos enganadores que promovem essa mudança de centralização, porque eles levam o apóstata a focar em um outro tipo de fé ou doutrina.

Dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.

Então Paulo nos diz que algumas destas mudanças são provocadas por “doutrinas de demônios”.

Nós temos atualmente inúmeras doutrinas demoníacas sendo ensinadas por ministros da Mensagem e nenhuma delas são baseadas na Bíblia, mas em distorções do que eles fizeram daquilo que o irmão Branham disse, tomando suas declarações para fundamentar doutrinas que ele não ensinou. Pedro disse que nos dias de Paulo alguns estavam distorcendo coisas difíceis que ele havia dito para a sua própria perdição. A explicação que Pedro nos dá com o que os falsos ministros faziam com os ensinos de Paulo, nos dá uma ideia do que os falsos ministros hoje fazem com o ensino do irmão Branham, afinal são os mesmos espíritos, e o que ocorreu no Alfa da igreja deve agora ocorrer no seu Omega também.

Indoutos e Inconstantes

2 Pedro 3:15-16
Tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos (do grego “amathes”, que quer dizer “ignorante”, “não educado”) e inconstantes (do grego “asteriktos”, que quer dizer “inconstante”, “não firme”, “instável”) torcem, (Do grego “strebloo”, que significa “perverter”, “alguém que corrompe ou distorce a linguagem, dando-lhe um falso sentido”) e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.

Aqui o apóstolo Pedro está nos dizendo que aquelas pessoas que apostatam da pureza do Evangelho são pessoas ignorantes e instáveis que distorcem as Escrituras e a doutrina que foi ensinada por um profeta-mensageiro, mas lembre-se que são espíritos enganadores que os levam a fazer isso, porque são instáveis e sem um posicionamento. Pois da mesma maneira em nossos dias temos indoutos e inconstantes distorcendo o que William Branham disse e também as demais Escrituras para a sua própria perdição, seja para chamá-lo de falso ou para criar uma doutrina falsa e um falso grupo apenas usando o seu nome. O irmão Branham disse que é muito difícil lidar com pessoas que são instáveis, porque a qualquer momento elas podem mudar de fé, de convicção e de posição.

A Invasão dos Estados Unidos (9/05/1954) §§ 40-41
Acabe, ele próprio, era de certo modo um crente fronteiriço. Eu freqüentemente tenho me referido a ele dessa maneira, porque ele ficava parte do tempo neste lado do muro, parte do tempo naquele lado do muro. Nunca se saberia onde permanecer com um homem que é instável assim. Ou, uma pessoa que professa ser um cristão, e que é instável, não se sabe o que fazer com respeito à pessoa. Hoje são cristãos; amanhã não se sabe onde estão. Na igreja hoje, estão regozijando e cantando e louvando a Deus; e amanhã, por aí bebendo, farreando, correndo por aí. Logo, é difícil ter algo a ver com esse tipo de pessoa...

Os Soberbos Nada Sabem

Depois de Paulo dizer a Timóteo que alguns apostatariam da fé, ele dirá mais adiante nessa mesma epístola que eles se afastam para pregar uma outra doutrina, o que seria a prova de sua soberba por não se sujeitar à Palavra da maneira como Ela foi entregue. Nós já estudamos em outra ocasião de que Deus Se revela na simplicidade para os humildes. Portanto o que impede de alguém reconhecer a simplicidade de Deus é a sua soberba, e é justamente isso que o fará crer e confessar outra doutrina.

1 Timóteo 6:3-11
Se alguém ensina alguma outra doutrina, (ou seja, se alguém abandonou ou apostatou da fé para abraçar a uma outra fé) e se não conforma com as sãs Palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo e nada sabe,

Só os humildes podem receber a sã doutrina. Se alguém abandona é porque foi arrogante para se sujeitar e morrer para si mesmo. O apóstata pode conhecer a sã doutrina, mas por ele ser instável, não possui a humildade para esperar até conhecer a Deus e ter o seu caráter moldado pelo Seu Espírito.

Jesus Cristo é o Mesmo (04/06/1963) § 112 [Sem tradução]
Você tem que se humilhar para conhecer a Deus. Você tem que se livrar de suas próprias ideias e simplesmente abrir o seu coração e a vida para Ele, então Ele Se tornará conhecido.

Os Apóstatas São Obsessivos

A seguir Paulo faz uma lista das várias perturbações que um apóstata pode causar:

...mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais.

Esta palavra “delírio” vem do grego “noseo”, que significa “estar doente” ou “ter uma indisposição da mente”. É isso mesmo. Todo apóstata é um doente. Essa palavra também se refere a alguém que tem tanto interesse em alguma coisa a ponto de torná-la uma obsessão ou enfermidade. Portanto os apóstatas são obsessivos. Aqueles que deixaram a Mensagem são obsessivos em procurar dia e noite por erros e falhas no irmão Branham para chamá-lo de falso e mentiroso. Conheço ministros e crentes nesta Mensagem que são obsessivos em combater o ministério de ensino de Lee Vayle, escrevendo artigos, livros, mandando e-mails e buscando apoio de outros ministérios. Todos eles são frustrados, são pessoas enfermas na mente e no espírito, altercando sobre todo o tipo de questões e contendas. Você os vê nas redes sociais fazendo isso.

Em outra oportunidade nós tratamos sobre as influências que as regiões cerebrais podem sofrer, que podem ser tanto físicas – na forma de drogas e medicamentos – como espiritualmente, seja pelo poder espiritual do Espírito Santo ou pelo poder intelectual do diabo. Uma mente que não é batizada pelo Espírito Santo torna-se refém de qualquer outro espírito que a ocupar. Uma mente que delira em busca de discussões e contendas é uma mente doente que se deixou conquistar por espíritos enganadores. Suas mentes ficam obsedadas por isso, como pode ser visto nas atitudes dos apóstatas que perseguem os servos de Deus.

Certa vez o irmão Brian pensou que estava ajudando a um ministro da Mensagem em Trinidad, quando este lhe escreveu questionando acerca da autenticidade do livro das Eras e do ensino de Lee Vayle. Porém após obter a sua resposta, este homem começou a escrever palavras agressivas e a combater o irmão Brian de todas as formas. Em seguida ele escreveu inúmeros artigos em seu site citando palavra por palavra dos sermões do irmão Brian e de Lee Vayle a fim de discordá-los. Isso havia se tornado em uma obsessão para ele. Depois este mesmo ministro escreveu um livro de 300 páginas para combater a ambos, dizendo que Brian havia inclusive conspirado juntamente com Lee Vayle para acrescentar falsos ensinos no livro das Eras do irmão Branham. Brian me disse: “Como seria possível eu ter qualquer participação no livro se eu só tinha 11 anos de idade quando ele foi escrito?”. Eu perguntei para ele: “Que lição você tirou de tudo isso?”. Ele me respondeu: “Eu descobri só depois que ele era um fazedor de problemas, e só o que ele queria era se projetar”. É por isso que Paulo disse: “Aparta-te dos tais”. Seja onde for que você se encontrar com um deles, não lhes dê atenção, pois tudo que eles querem é publicidade e construir um nome para si. Isso é o que está por trás de toda a sua obsessão.

Os Apóstatas Retrocedem e Fazem Retroceder

Veja que a palavra que Paulo usou em 1 Timóteo e que foi traduzida como “apóstata” foi “aphistemi”, que quer dizer “abandonar”, “afastar-se de alguém”, “tornar-se infiel”, porém essa palavra também significa “fazer retroceder”, “fazer afastar-se”, ou seja, um apóstata não é conhecido somente por se afastar, mas por se esforçar em fazer com que outros se afastem e retrocedam assim como eles; “apóstata” também significa “excitar à revolta”, e é exatamente isso que eles fazem, semeando contendas entre os irmãos, às vezes até mesmo com palavras de ódio e críticas maliciosas. Existe atualmente um grande espírito enganador na forma de um profeta na África excitando os seus seguidores à revolta como um apóstata faz, chamando a todos os crentes da Mensagem que não lhes seguem de “branhamitas”; seus seguidores inclusive usam as redes sociais para fazer tudo aquilo que Paulo disse que eles fariam, o qual acabamos de ver.

Homens Submergidos na Perdição e Ruína

Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. (Não se esqueça que Paulo está se dirigindo nesta carta a um ministro; então o que ele está fazendo é lhe dar alguns conselhos: “Não use o teu ministério para se enriquecer. Contente-se com toda a ajuda que você receber dos irmãos e fique satisfeito com isso”. A razão de ele dizer isso é porque já havia ministros pregando a sua doutrina naqueles dias com essa pretensão, e é deles que Paulo irá tratar agora.) Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, (Veja que Paulo está se referindo aqui àquela apostasia sutil que é quase imperceptível. Eles não combatiam o Evangelho ou a doutrina de Cristo. Eles conheciam a Palavra de Deus e eram pregadores Dela, porém os seus motivos e objetivos eram outros. Portanto mesmo sendo crentes e ministros, eles eram apóstatas, porque se desviaram da verdadeira finalidade da Mensagem que Paulo havia entregado.) E se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.

Mais uma vez Paulo dá essa recomendação: “Aparta-te. Fuja destas coisas”. O irmão Branham disse que se você der ouvidos a esses espíritos enganadores você acabará confuso, e isso poderá te converter em um apóstata junto com os demais.

A Separação da Incredulidade (28/02/1955) § 28 [Sem tradução]
Tenha cuidado com quem você se associa quando você sair lá fora e ficar em meio ao povo, e este começa a dizer a você isto e este aquilo. Então você se confunde todo; você não sabe no que você crê.

Eles Advertirão o Povo a Não Ouvir o Mensageiro

O irmão Branham tratou com mais detalhes sobre essa Escritura de 1 Timóteo 4 que estamos examinando no seu livro das Eras. Ali o irmão Branham profetizou algo que hoje vemos que já está se cumprindo, tratando dos apóstatas que prevaricariam a doutrina, e que perseguiriam tanto ao profeta-mensageiro chamando-o de falso, como também ao ministério quíntuplo por pregar o mesmo que o profeta de Deus pregou e do laço da cobiça que os levam à ruína.

Uma Exposição das Sete Eras da Igreja, págs. 297-298
1 Timóteo 4:1: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.” Agora em cada caso você notará que um falso profeta é aquele que está fora da Palavra. (Veja que para o irmão Branham todo o apóstata se converte em um falso profeta da Palavra) Assim como lhe mostramos que ‘anticristo’ significa ‘anti-Palavra’, assim também estes falsos profetas vêm pervertendo a Palavra, dando-lhe um significado que convém aos seus próprios objetivos diabólicos. Você já notou como as pessoas que desencaminham outras mantêm-nas bem perto de si mesmas pelo medo? Eles dizem que se as pessoas não fizerem o que eles dizem, ou se forem embora, então resultará em destruição. Eles são falsos profetas, pois um verdadeiro profeta sempre conduzirá para a Palavra e vinculará as pessoas a Jesus Cristo e não dirá às pessoas para temê-lo ou o que ele diz, mas para temer o que a Palavra diz. Note como estas pessoas iguais a Judas estão empenhadas em dinheiro. Elas lhe fazem vender tudo o que tem para dar a eles e aos seus programas. Eles gastam mais tempo com as ofertas do que com a Palavra. Aqueles que se esforçam em operar dons farão uso de um dom, que tem uma margem de erro nele, e depois pedirão dinheiro, e negligenciarão a Palavra, e chamarão isto de Deus. E as pessoas irão a eles, e os tolerarão, e os sustentarão, e crerão neles, não sabendo que é o caminho da morte. Sim, a terra está cheia de personificadores carnais. Neste último dia eles procurarão imitar o mensageiro profeta. (Eles tentarão convencer aos seus sectários que, assim como William Branham, eles também são profetas-mensageiros ou homens da hora, e assim como o ministério do irmão Branham foi vindicado com a Escritura de Malaquias 4, eles também procurarão mostrar para você alguma Escritura para vindicar o seu falso ministério, porém eles não passam de espíritos enganadores que tentarão com a sua falsa unção fazer com que muitos retrocedam, da mesma forma como eles retrocederam) Os sete filhos de Ceva procuraram imitar Paulo. Simão, o mágico, procurou imitar Pedro. Suas personificações serão carnais. Eles não serão capazes de produzir o que o verdadeiro profeta produz. Quando ele diz que o avivamento acabou eles irão por aí alegando uma grande revelação de que aquilo que o povo tem é exatamente correto, e que Deus vai fazer coisas maiores e mais maravilhosas entre as pessoas. E o povo se deixará enganar por isto. Estes mesmos falsos profetas alegarão que o mensageiro do último dia não é um teólogo, portanto ele não deve ser ouvido. (Preste atenção, porque é exatamente isso que os ex-crentes da Mensagem estão fazendo hoje.) Eles não serão capazes de produzir o que o mensageiro pode; eles não serão vindicados por Deus como esse profeta do último dia é, porém com suas grandes e soberbas palavras e com o peso de sua notoriedade mundial, eles advertirão o povo a não ouvir esse homem (mensageiro) (Ou seja, excitarão pessoas à revolta, que é exatamente o que um apóstata faz) e dirão que ele ensina errado. Eles estão fazendo exatamente como seus pais, os fariseus, que eram do diabo, porque alegavam que tanto João como Jesus ensinavam o erro.

O Ladrão Vem Para Roubar, Matar e Destruir

Observe que o irmão Branham fez menção dos fariseus e dos demais religiosos que nos Seus dias Jesus chamava de ladrões, porque eles eram falsos pastores, assalariados, que não se importavam de fato com as ovelhas. Eles tinham a Lei, a Palavra de Deus, mas não tinham o Espírito Santo para interpretar a Lei adequadamente, tanto que sequer conseguiram ver as Escrituras sendo cumpridas ali diante de seus olhos. Portanto é admirável quando vemos até mesmo crentes da Mensagem citando escritos de antigos rabinos judeus dando suas interpretações das profecias bíblicas, alegando possuírem alguma autoridade para tal, quando a crucificação do nosso Senhor por aqueles mestres foi a maior prova da total incompetência que até hoje qualquer rabino judeu possui para interpretar as Escrituras a um cristão, porque embora alguns deles hoje admitem que Jesus seja o Messias, mesmo assim mostram sua cegueira e ignorância por pensarem que os gentios precisam se judaizar para serem salvos. Mas como disse Jesus, nenhuma de Suas ovelhas podem dar ouvidos a qualquer dessas vozes estranhas e aos seus espíritos enganadores, porque elas sabem Quem é o seu pastor.

João 10:1-14
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. Jesus disse-lhes esta parábola; mas eles não entenderam o que era que lhes dizia.

Naqueles dias era até comum um pastor conduzir o seu rebanho por longas distâncias passando por pequenas cidades ou vilarejos. Nestes locais sempre havia apriscos onde o pastor pagava para deixar suas ovelhas descansarem, enquanto ele pernoitava em alguma hospedaria. Conforme o espaço, vários pastores, às vezes cinco ou seis, com os seus diferentes rebanhos, deixavam ali os seus animais. No outro dia, cada pastor ia até o aprisco local e chamavam para fora as suas ovelhas, porém as demais não saíam do local porque cada rebanho reconhece e obedece a voz somente de seu pastor. O que os fariseus não estavam entendendo é que Jesus estava com essa ilustração dizendo que Ele estava ali para chamar para fora do aprisco do judaísmo todos aqueles que eram Suas ovelhas, ordenadas por Deus para ouvir o Evangelho da salvação. Os que continuassem naquele aprisco não eram das Suas ovelhas. Mas como os rabinos, fariseus, mestres e demais religiosos não conseguiram entender nada disso, Jesus então tentou explicar:

Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que Eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de Mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar por Mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.

Naqueles apriscos que eram alugados, o empregado que era contratado para cuidar das ovelhas era chamado de “porta”, porque ele literalmente fazia a sua cama na entrada, cuja abertura era de aproximadamente dois metros. Deste modo, nenhum animal podia sair, ou mesmo um ladrão ou predador passar, sem que pisasse em cima dele. Jesus aqui Se identificou como sendo a porta das ovelhas, porém não do aprisco do judaísmo, mas de um outro aprisco que Ele estava preparando onde Suas ovelhas encontrariam pastagens frescas.

Porém observe que aqui Jesus chamou os líderes religiosos que estavam em Israel antes Dele de “ladrões” e “salteadores”, porque era exatamente isso que eles eram. Eles faziam um comércio de exploração bastante lucrativo com os peregrinos. Os sacerdotes criavam grandes quantidades de animais para serem vendidos e depois sacrificados a Deus no templo. Estes mesmos religiosos diziam que não era qualquer animal que podia ser sacrificado, exceto os que eles mesmos criavam para este fim, alegando dar a eles cuidados especiais, de modo que Deus só aceitaria sacrifícios se fossem por meio destes. Ninguém então podia sacrificar animais para o Senhor no templo, a menos que fossem comprados dos apriscos dos sacerdotes, que eram vendidos a preços muito altos e comercializados no próprio templo. Não foi à toa que Jesus os repreendeu dizendo que haviam transformado o templo de Deus, que era uma casa de oração, em um covil de ladrões.

O ladrão não vem senão para roubar, matar, e destruir...

Jesus não está falando de Satanás, como os denominacionais e até mesmo ministros da Mensagem interpretam, mas dos falsos pastores. Eles roubam, matam e destroem igrejas inteiras com suas apostasias e doutrinas diabólicas.

Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; e o lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. Ora, o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. Eu sou o bom Pastor, e conheço as Minhas ovelhas, e das Minhas sou conhecido.

Essa palavra que foi traduzida por “mercenário” vem do grego “misthotos”, que também significa “empregado” ou “assalariado”, que deveria ter sido a tradução mais apropriada para esse texto, porque Jesus está Se referindo ao porteiro do aprisco que era pago para cuidar das ovelhas. Ele não era o pastor delas, mas apenas um empregado contratado que dormia na porta até que os pastores viessem buscar os seus rebanhos. Ele era apenas um assalariado; ele não estava ali para nenhum outro fim senão esse. Jesus está dizendo que aqueles líderes não eram pastores de verdade, pois só o que eles queriam era fazer negócios com a sua fé. E da mesma forma hoje existem falsos líderes que caíram na tentação de ficarem ricos, sendo o amor pelo dinheiro, a raiz de todos os males, como disse Paulo, e tampouco se importam que Satanás, representado aqui pelo lobo, destrua as igrejas com as falsas doutrinas que eles mesmos pregam.
Pervertendo a Fé de Alguns

Observe que o problema com os espíritos enganadores naqueles dias era tão sério, que na sua segunda epistola a Timóteo, Paulo voltou outra vez a dar mais conselhos, sugerindo que se afastasse de todo e qualquer tipo de contenda que os apóstatas estivessem promovendo, que como já sabemos, só o que eles querem é adquirir notoriedade, ainda que dissimuladamente afirmem que tudo que fazem é com o intuito de libertar as almas do erro, quando na verdade os cativos são eles mesmos.

2 Timóteo 2:16-18
Mas evita os falatórios inúteis e profanos, (Do grego “kenophonia”, “discussão vazia”, “discussões inúteis”. Evite ao máximo discutir com os espíritos enganadores. Deixe-os sós. Olhe para os motivos e objetivos daqueles que estão discutindo, porque a menos que eles estejam buscando saber algo com sinceridade, você não poderá ajudá-los, porque eles já possuem suas mentes estabelecidas e tudo que eles querem é provocar uma discussão.) porque produzirão maior impiedade. (Na sua soberba, eles evitarão de todos os modos se corrigir, caso você lhes mostre a verdade, o que os tornará duas vezes mais merecedores do inferno do que antes) E a palavra desses roerá como gangrena; (Paulo não poderia ter escolhido aqui uma ilustração mais alarmante. Uma  gangrena ocorre quando o fluxo de sangue não circula normalmente em determinadas partes do corpo, criando necrose. Como o sangue não circula, não há mais vida, restando apenas a amputação do membro afetado. A palavra dos apóstatas, ainda que sejam baseadas nas Escrituras, estão todas mortas porque não tem por trás delas a Vida do Espírito, e os seus pecados subsistem por que suas vidas não são irrigadas e lavadas pelo Sangue do Cordeiro.) entre os quais são Himeneu e Fileto; os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.

Aqui Paulo citou alguns casos de espíritos enganadores que haviam se afastado do Evangelho; em outra ocasião ele também citará Demas. Jesus igualmente tratou de falar sobre os que se afastam da fé afirmando não serem aptos para o reino, que como já dissemos em outra ocasião, exige-se esforço para se entrar nele.

Lucas 9:62
E Jesus lhe disse: Ninguém que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.

É por isso que as Escrituras nos dão a recomendação para não dar ouvidos à doutrinas estranhas, porque elas só poderão trazer confusão e perversão da fé, fazendo o incrédulo retroceder para trás.

Hebreus 13:9
Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça...

Deus Não Muda a Sua Doutrina, Mas a Engrandece

Nós sabemos que Deus não muda a Sua Palavra porque Ele próprio é a Palavra, então nós não devemos ir em busca de uma doutrina que não esteja baseada na Palavra de Deus, porque se fizermos isso, estaremos apenas tentando alterar a Palavra para cabê-La em nossa doutrina, e são os espíritos enganadores que convencem os homens a fazerem isso, não o Espírito Santo, porque Ele nunca pode mudar a Sua Palavra, exceto engrandecê-La ainda mais.

Cristo é o Mistério de Deus Revelado (28/07/1963) §§ 407-112
“Bem”, você diz: “Agora espere um minuto, irmão Branham, você está falando sobre o Antigo Testamento.” Ele é o mesmo ontem, hoje, e eternamente. É a plena revelação de Deus. Se Deus alguma vez diz algo, Ele jamais pode mudar isto. Ele sempre engrandece isto, não o muda. A lei foi engrandecida, não mudada. Engrandecida! (Do inglês “magnifies”, que pode ser também “ampliada”, “aumentada”) “Qualquer que cometer adultério será culpado de morte, porém qualquer que,” (agora engrandecida, “atentar numa mulher para a cobiçá-la...” Ele nunca mudou o mandamento. Ele o engrandeceu. “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar”, um dia na semana; agora Ele o engrandeceu, o “descanso” vem de guardar o Espírito de Deus. “Mandamento sobre mandamento, e regra sobre regra; um pouco aqui, e um pouco ali. E retenha aquilo que é bom. Pelo que por lábios estranhos e por outras línguas Eu falarei a este povo. E este é o descanso. Este é o refrigério da Presença do Senhor”. (O irmão Branham está citando Isaías 28. Veja que é mandamento sobre mandamento, e regra sobre regra; não uma regra ou ditame em substituição à outra, mas é conhecimento acima de mais conhecimento, informação e mais informação) E no entanto eles não ouviam Isto, e balançavam as suas cabeças e iam embora para as suas denominações. Hum-hum. “Este é o refrigério”, veja, engrandecendo o dia do sábado; para vocês sabatistas e assim por diante. Oh, que coisa! Ele não muda. Ele o engrandece. “O inferno tem aberto as suas portas para recebê-los.” Agora, vocês podem ver agora, a Mensagem do tempo do fim, por que Ela é rejeitada? Vocês podem? (Porque ela não muda nenhuma doutrina da Bíblia, mas pelo contrário, enaltece, amplifica, esclarece; a Mensagem coloca a Palavra de Deus no Seu devido lugar, sem hibridar, sem diminuir ou acrescentar nada), Agora, nenhuma denominação, mas a revelação de Seu mistério. Veja, nenhuma denominação. A revelação! Deus não é conhecido pela denominação. Ele é conhecido pela revelação. Creio que podemos dizer o mesmo sobre a Mensagem do tempo do fim. Deus não enviou Sua Mensagem para a Sua Igreja neste dia para mudar ou alterar algo que Ele nos deu nas Escrituras, mas para engrandecer as Escrituras.

O Falso Apenas Engrandece o Verdadeiro

Toda a imitação é falsa, porém o falso serve apenas para exaltar e engrandecer aquilo que é verdadeiro. Uma falsa doutrina somente enaltece ainda mais a importância e o poder da verdadeira doutrina apostólica revelada; uma falsa vinha irá apenas engrandecer a verdadeira vinha que se mantém como fiel testemunha da Palavra, e os falsos ministros servem apenas para exaltar ainda mais o valor dos que permaneceram varonilmente com aquilo que é puro e genuíno. Os dois espíritos sempre andaram juntos, porém o falso jamais conseguiu ofuscar ou apagar o brilho do verdadeiro.

Testemunho (28/11/1963) § 69
Tenho tido tantas imitações carnais do outro, que isso me deixa assustado só de pensar nisso. Porque vocês terão isso, com toda a certeza. Sempre existem as multidões mistas. E essa imitação carnal tem que seguir Isto. Ela seguiu nos dias Dele; ela seguiu nos dias de Moisés; ela seguirá em cada dia. Ela seguirá neste dia quando o Espírito Santo está tentando fazer a obra. Mas ainda assim, se uma pessoa é espiritual, a personificação carnal somente engrandece a correta, Aquela, o – o artigo real de Deus.