Pesquisar neste blog

quarta-feira, 20 de julho de 2016

comodeusmechamouaafrica

Como Deus Me Chamou à África

 Este sermão foi pregado pelo irmão Branham e faz parte dos textos editados pelo Rev. Gordon Lindsay, cujo áudio original não está mais disponível. O Pr. Diógenes Dornelles tem feito a tradução do texto e a narração em áudio. Esperamos que seja uma benção para você, como tem sido para nós.

Baixar Áudio

Eu comecei a sentir o chamado à África quando eu estava em Houston, Texas. O Rev. Bosworth trouxe-me uma foto da senhorita Florence Nightingale. (Muitos de vocês viram aquela foto recentemente na “Voz da Cura”). Eu recebi um telegrama logo depois disso me pedindo para vir a Durban, na África do Sul. Eu coloquei a foto no chão, e com minha esposa e filhos ajoelhados em volta disso oramos: “Deus, se Tu simplesmente curar esta pobre querida mulher, eu irei à África e testemunharei para Ti lá”. Encomendei isto ao Senhor, e pouco sabia que isso se converteria para que eu fosse à África.

Mas quando o irmão Moore e o irmão Lindsay e um grupo de nós fomos para Inglaterra, mal havíamos saído do avião, quando eles nos chamaram. Era uma chamada de algumas das pessoas que haviam trazido Florence Nightingale num avião de Durban, África, e eles me pediram para que eu fosse e orasse por ela. Como ela soube que nós estaríamos ali eu não sei. Fomos para vê-la, e no quarto para onde fomos levados vi uma visão da qual eu nunca tinha antes testemunhado em minha vida.

A mulher era talvez de 1,70 m de altura, porém seus braços e membros eram tão minúsculos e tinha que estar deitada continuamente. Lágrimas estavam rolando em seu rosto e as enfermeiras tinham que se curvar para ouvir o que ela estava dizendo. Ela disse que queria que eu pedisse a Deus para deixá-la morrer. Ela não queria viver por mais tempo. Bem, depois de sua oração e agarrando-se em Deus por tanto tempo, era difícil para eu pedir a Deus para deixá-la morrer. Então eu orei para que ela ficasse boa. Enquanto eu estava orando uma das coisas mais doces aconteceu. Uma pequena pomba veio alvoroçando através dos arbustos e pousou perto da janela. Ela caminhou para frente e para trás e arrulhava enquanto ela andava. Alguns dos ministros mencionaram a pomba, porém antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, o Anjo do Senhor se aproximou. A benção do Senhor veio sobre a mulher. Foi dito a ela que ela viveria e não morreria. Amigos, aquela mulher pesa cerca de 70 quilos agora e está em perfeita saúde.

O Chamado à África!

Eu havia prometido a Deus que eu iria para África se Ele a curasse. Assim, quando o chamado veio novamente eu estava pronto para ir. Fomos para Nova York e tivemos uma maravilhosa reunião na Arena St. Nicholas. O lugar estava abarrotado na segunda noite.

Foi-me dito que a nenhum sujeito americano seria exigido um visto contanto que ele estivesse indo para o território britânico e de que eu nem necessitaria tomar uma vacina contra tifo. No entanto, quando eu estava para embarcar no avião, eles me disseram que eu tinha que ter a ambos.

O avião partiu me deixando parado na pista de decolagem. O irmão Baxter gritou: “Me deixe sair daqui. Estou com medo que esta coisa caia”. Todavia, nós lhe dissemos para ir para África, e que chegaríamos lá tão logo pudéssemos.


Alguns dias mais tarde, fomos autorizados a partir para África e estávamos perto de aterrissar. Havia uma péssima barreira de nevoeiro e tínhamos um instrumento quebrado. Circulamos sobre a cidade por uma hora. Todo mundo sentado quietamente. Eu estava orando. Quando atingimos a pista de decolagem, todo mundo soltou um grande suspiro. Eu disse: “Aleluia!”. Eu estava realmente grato de estar em terra novamente. Fomos saudados em Johannesburg por vários repórteres de jornais e também por cerca de 30.000 pessoas.

A Primeira Noite

Naquela noite fomos ao local da reunião. Até onde pude ver, através das luzes, havia uma
sólida massa de seres humanos sofrendo. Eu estava muito cansado, estando sob a tensão da viagem, porém eu havia falado por cerca de cinco minutos quando eu olhei para baixo e vi uma dama deitada numa maca. Então o Anjo do Senhor se aproximou. Foi dito que a mulher esteve em um acidente há dois anos antes e que havia fraturado suas costas, que havia sido reforçado com arames e que os médicos não lhe deram nenhuma esperança de alguma vez andar novamente. Sua mãe ali sentada acenava com sua cabeça de que isso estava correto. Então, numa visão, eu vi a jovem dama levantar-se e caminhar. Eu sabia que ela seria curada. Eu disse: “Irmã, no Nome do Senhor, você está curada”. Sua mãe disse: “Oh, não, não, não! Ela não pode se levantar, ela morrerá”. Porém a jovem moça logo levantou-se da maca, e depois gritou e ergueu suas mãos. A mãe desmaiou e caiu sobre a maca em que sua filha recém havia deixado.

Todo mundo começou a olhar, porém logo em seguida atrás na audiência eu vi uma visão de um garoto, um jovem rapaz de aproximadamente dezesseis anos, caminhando, inclinado. Eu disse: “Jovem, você não tem uma perna um pouco mais curta do que a outra?”. Ele disse: “Sim, senhor”. Então eu disse: “Eu há pouco tenho observado você em uma visão. Você tem vindo de longe, não tem?”. Ele disse: “Sim, senhor”. Então eu vi na visão um carro em que eles haviam viajado. Logo depois eu o vi caminhando de volta, e desta vez ele estava tão normal quanto qualquer um poderia estar. Eu disse: “Irmão, no Nome do Senhor, você está normal agora”. Ele tinha vindo de Durban e várias pessoas o conheciam. Tão logo eu lhe disse que Deus o havia curado, ele se endireitou e veio correndo pelo corredor, com as duas pernas exatamente do mesmo tamanho. Bem, aquilo simplesmente acendeu o lugar.

Na noite seguinte eu tentei explicar às pessoas sobre cura divina. Eu lhes disse que os médicos não curam as pessoas, e nem eles alegam curar o povo. Eles apenas são capazes de ajudar a natureza da pessoa que está enferma. Somente Deus é o Curador. Na manhã seguinte um oficial da Associação Médica da África me chamou e queria me levar para almoçar. Eu não poderia ir porque eu tenho que jejuar quando estou sob a unção na reunião de cura. Então eles desceram até a reunião e me deram a mão direita de companheirismo. Que coisa, as pessoas que vieram! Parecia como se eles tivessem sido liberados de todos os hospitais para que assim eles pudessem vir à reunião.

Eu quero lhe falar a respeito de dois ministros da igreja reformada holandesa que vieram à reunião. Um era a favor dos cultos e o outro era contra. E a pessoa que era contra disse-lhes: “Ele é um hipnotizador tão certo quanto o mundo”. O outro disse: “Não, os hipnotizadores não curam as pessoas”. “Bem, então com certeza ele é um espiritualista. Ele deve ser do diabo, pois como ele poderia saber aquelas coisas que ele está dizendo ao doente?”.

A Mão do Anjo

O outro ministro que estava a meu favor disse: “Este é o dia da visitação! Se você não crê você irá se lamentar. Este é o último avivamento do Senhor antes da Sua vinda. Eu orarei por sua alma”. Ele foi até o jardim e ajoelhou-se debaixo de um pessegueiro. Enquanto ele estava orando, ali estava o Anjo do Senhor de pé na frente dele, que disse: “Vá e fale a ele novamente”. Quando o Anjo falou aquelas palavras uma mão foi estendida sobre o seu ombro, e ele sentiu como se viesse fogo através dele. Ele voltou ao seu amigo e disse-lhe que tinha visto um anjo e que uma mão havia sido colocada sobre suas costas. De repente o outro ministro agiu como se tivesse tido um ataque do coração. Havia um local queimado na camisa do homem que era exatamente a imagem da mão de um homem! A história chegou às principais notícias dos jornais no dia seguinte. Elas mostravam a foto de um ministro olhando para a impressão da mão do anjo em sua camisa – queimada!

Deus nos concedeu uma maravilhosa abertura ali. Grandes sinais e maravilhas aconteceram. O irmão Baxter veio no dia seguinte e disse: “Irmão Branham, saímos daqui de manhã”. Eu disse: “Sair daqui? Estamos tendo uma reunião maravilhosa.” Ele disse: “Sim, eles nos programaram para irmos a Kimberly”. E ele mencionou algumas outras cidades. Eu disse: “Isso está certo? Parece que nós deveríamos ficar aqui. Temos tido uma reunião tão grande. Você sabe que estamos aqui para ficar por dez semanas”.

O Senhor então me mostrou em uma visão que não deveríamos fazer a mudança naquele tempo. O Senhor disse: “Não tome aquele itinerário que eles querem tomar. Fique aqui por algumas semanas e depois você pode ir a Durban”. O Comitê havia feito promessas para determinados ministros e era difícil para eles voltarem atrás. “As reuniões estão estabelecidas em ordem, e nós teremos que partir daqui dentro de aproximadamente duas horas”, eles disseram. Eu fui para o carro, mas o Senhor continuou falando para eu não ir. Disse ao motorista para parar o carro, para que não fôssemos, e que estávamos ficando fora da vontade de Deus; que toda vez quando Deus fala comigo dessa maneira, isso nunca falha em levar a problemas se eu não obedecer a Sua voz.

A Tempestade

Depois eu disse: “Lembre-se de Paulo no passado quando ele disse a bordo do navio: ‘Vocês não deveriam ter saído de Creta’. Se formos, sofreremos por isto”. Voltamos para o carro e fomos para Klerksdorp. Havia cerca de 15.000 pessoas nas montanhas, muitas que vieram para receber oração. Me sentia condenado, pois era um perigo para a pequena cidade ter tantos ali. Então, exatamente cerca de meia hora antes da hora de sair para a reunião, lá chegou uma tempestade tropical que quase afogou a grande multidão de pessoas ali. Às dez horas eu ainda não podia sair da casa, e o vento estava soprando tanto. Você pensa que você tem tempestades aqui. Você deveria estar numa tempestade tropical uma vez. Por horas os trovões e relâmpagos brilham constantemente. Quando os outros chegaram de volta da reunião aquela noite eu disse: “Eu avisei vocês”. (Aquelas são grandes palavras - “Eu avisei vocês!”).

A Vontade Permissiva de Deus

Um irmão disse para mim: “Oh, está tudo bem. Amanhã teremos um belo dia. Nós temos essas tempestades com bastante frequência nesta época do ano”.

Billy, meu filho, e eu fomos para cama e na manhã seguinte fomos despertados por um belo dia. Naquela noite cerca de meia hora antes da reunião veio uma nevasca. Não houve reunião. Cerca das duas horas da manhã eles ainda estavam discutindo sobre o que eles deveriam fazer. Eles disseram que centenas de dólares em publicidade haviam sido gastos, e que eles estavam trazendo nativos de centenas de milhas ao redor. Meu filho e eu nos ajoelhamos para orar. Após um tempo, Billy foi para cama, porém eu continuei orando. Quase perto de clarear, o Anjo veio e disse: “Você pode ir com eles em seu itinerário, mas por causa de todo o grupo você sofrerá por isto. Este deverá ser o sinal para você. Eles virão em um carro preto para pegá-lo, e você será levado adiante por uma determinada estrada. Naquela estrada haverá um nativo vestido de paletó branco com uma vara em sua mão, parado próximo a uma árvore de eucalipto perto de uma ponte. Ele estará batendo em um outro homem e o seu filho chamará sua atenção para isso”.

Quando eu saí da visão fui a Billy e o acordei e disse-lhe o que o Anjo havia dito. Quando a manhã chegou eles nos enviaram para um carro preto e fomos por uma estrada parecida com o cenário enquanto seguíamos adiante. De repente Billy se levantou e disse: “Papai, olhe para aquilo”. Lá estava aquele nativo de paletó branco parado perto de uma árvore de eucalipto preparando-se para bater num homem. Eu disse: “Você se recorda do que eu disse a você Billy?”. O pequeno rapaz chorou... por ver isso acontecer exatamente assim. Tivemos uma boa reunião naquele dia.

Na cidade seguinte os problemas começaram. Cerca de doze mil pessoas estavam na cidade e o pregador local queria a reunião em sua igreja na qual somente umas cem poderiam sentar. Eles tiveram que descer e conseguir a pista de corrida para acomodar as pessoas.

Porém havia mais problemas. Não foi dito para nós que éramos para ferver a água em que iríamos beber. Um por um do nosso grupo ficou doente, e estávamos realmente doentes.

Finalmente chegamos a Durban, a cidade onde o Senhor disse-nos para irmos primeiro. Creio que havia 30.000 pessoas lá e vários indianos hindus. Agora, em Durban eles tinham uma grande pista de corrida e as pessoas estavam sentadas por três quadras da cidade. O povo estava faminto e sedento por Deus.

Então domingo à tarde foi um grande e maravilhoso dia em minha vida. Caminhamos até o culto. Havia uma tempestade se aproximando, porém as pessoas não deram a mínima atenção a isso. Eles simplesmente se assentaram lá e deixaram a chuva vir sobre eles, pingando em suas faces, porém eles nem notaram. Eles estavam famintos e sedentos por aquela vida imortal que Deus estava dando a eles. Muitas coisas estranhas aconteceram naquela grande multidão de cerca de 100.000.

Naquela tarde o prefeito da cidade desceu para nos ver. As pessoas haviam visto o poder de Deus e elas estavam crendo. O irmão Bosworth disse: “Irmão Branham, se todos eles pudessem entrar aqui, haveria mais de 100.000”. A milícia estava lá, e eles disseram que as pessoas estavam chegando de todos os montes.

Não conseguimos distribuir cartões de oração; isso era impossível. Dissemos aos missionários para pegarem três de cada tribo e trazê-los para dentro. E quando chegamos à plataforma, as primeiras pessoas que vieram eram maometanos. Alguns deles eram hindus muito firmes. Eles tinham um ponto vermelho entre seus olhos. Eles haviam sido “abençoados no templo”. Eles eram rudes para fazer qualquer coisa. Milhares deles sentaram na audiência, e seus chefes, muitos dos quais estavam em volta observando.

Uma das primeiras pessoas que vieram foi um homem com uma mão aleijada. O Anjo do Senhor falou e disse: “Ele adquiriu isso numa queda; ele caiu e bateu numa pedra e feriu sua mão. Ele esteve aleijado por um longo tempo, mas ele agora está curado!”. Quando o intérprete repetiu isso, o homem saltou no ar e estava perfeitamente são.

A seguinte foi uma mulher hindu. Foi contado a ela tudo sobre sua vida e o que estava errado com ela. Os hindus começaram a clamar. Eles crêem na reencarnação e pensaram que o espírito de algum deus hindu havia voltado aos mortais. O irmão Baxter foi até o microfone para parar com aquilo. Foi um tempo tremendo.

Um pequeno rapaz de cor, com uma grande gordura no estômago (causado por uma má dieta) veio à plataforma. Ele tinha estrabismo. O Anjo do Senhor contou tudo a respeito de suas vidas e de seus pais. Os pais acenavam de que isso estava certo. Os chefes estavam convencidos de que alguma coisa estava acontecendo a respeito da qual eles nada sabiam. O rapazinho estava parado ali e o missionário o trouxe para bem perto de mim. Então eu vi que Deus o havia tornado são, pois seus pequenos olhos se tornaram simplesmente tão alinhados quanto poderiam estar.

Um jovem médico britânico que estava sentado na plataforma trouxe o jovem para cima. Eu ouvi o irmão Baxter e o irmão Bosworth tentando manter o homem para trás. O médico falou: “Pregador, posso perguntar algo a você?”. Eu respondi: “Sim, senhor”. Ele perguntou: “Você endireitou os olhos de todos eles?”. Eu respondi: “Eu não os endireitei”. Porém o médico disse: “Seus olhos estão alinhados agora. Fui eu quem o trouxe aqui. Aquele garoto estava lamentavelmente com os seus olhos desalinhados, mas agora ele está são. Todo mundo que tem estrabismo são curados quando você ora?”. Eu respondi: “Não senhor, isso é segundo a fé do paciente em Deus”. Ele olhou para o pequeno rapaz novamente, e lágrimas rolavam de sua face. Ele caminhou até a plataforma e disse: “Então eu também quero aceitar Jesus Cristo como meu Salvador pessoal”. Alguns dos missionários o levaram até eles. Mais tarde quando eu estava deixando Johannesburg, ele gritou para mim: “Irmão Branham, irmão Branham!”. Eu me virei para ele e ele jogou seus braços em volta de mim e clamou: “Creio que serei um pregador!”. Eu respondi: “Creio que Deus fará de você um”.

O próximo a vir à plataforma foi um homem que era guiado por uma corrente. Ele tinha uma coleira e caminhava como um cachorro sobre suas mãos e seus pés. Ninguém podia fazer nada por ele. Deus me mostrou naquele momento que ele havia estado daquela maneira desde criança. Seus quadris estavam bastante elevados. Eu não posso vos dizer o quão pobre o homem parecia. Você pode imaginar sua condição e aparência e sem roupas. Então uma visão apareceu diante de mim de que ele ficaria bom. Eu disse ao missionário: “Levante-o”. Eles olharam para mim. Eu disse: “Levante-o”. Eles começaram a puxá-lo e o homem ficou de pé! Ele começou a cair, então ele se endireitou e olhou em volta. O povo começou a pular e gritar.

Depois que as pessoas haviam visto as obras poderosas de Deus e o irmão Baxter e o irmão Bosworth pregando o evangelho com tanta força, foi impossível para eles ficarem sem receber o sopro de Cristo. Quando a chamada de altar foi feita, foi estimado que 30.000 ficaram de pé e aceitaram Cristo de uma só vez. Eu perguntei: “Quantos de vocês estão prontos para crer que Jesus Cristo é o Deus Imortal? Vocês estão prontos para jogarem fora os seus ídolos e vocês maometanos estão prontos para renunciar a todas as suas superstições? Qual dos seus sacerdotes no templo poderia dar a este homem perfeita saúde? Qual dos ídolos que alguns de vocês carregam em suas mãos, poderia curar a este homem? Não há nenhum poder neles. Mas Jesus Cristo o Filho de Deus, por meio da fé em Seu Nome tornou este homem de pé aqui são hoje! Agora, se vocês são realmente sinceros e realmente querem isto do fundo do seu coração, deixem todos os nativos quebrarem seus ídolos e deixe todos os maometanos lavarem seus pontos vermelhos de seus olhos”.

Parecia uma tempestade de poeira quando eles quebraram os seus ídolos e pegaram seus aventais e lavaram os pontos vermelhos de seus olhos. Eles levantaram suas mãos e lágrimas estavam rolando de seus olhos. Aleluia! Irmão, você pode chamar isso de fanatismo se você desejar.

Havia um grupo de ministros que vieram até a mim cinco ou seis anos atrás e disseram: “Irmão Branham, você está louco. Você jamais alcançará este projeto”. Eu respondi: “Deus disse para fazer isso; isso é tudo que importa para mim. Se Ele disse: ‘Faça-o’, isso será feito”. Parado ali com os clérigos outro dia, eu disse: “A coisa que vocês chamam de fanatismo tem trazido mais pessoas a Cristo do que milhões de dólares que passam em um projeto sem o poder de Deus”. Isso mesmo. Jesus Cristo sabia que seriam necessárias estas coisas para converter os pagãos. Vocês e eu lemos e entendemos, e a fé vem pelo ouvir. Porém um pagão tem que ver o poder. Ele deseja servir a um Deus de poder. Paulo sabia disso há 1900 anos atrás. Nas terras distantes onde ele ministrava, sabia que se precisava de um Deus de poder para converter o pagão. O Senhor é simplesmente o mesmo hoje. Eu creio que a hora está próxima quando Jesus Cristo virá novamente. É por esta razão que o evangelho está se expandindo e milhares e milhares estão sendo salvos de uma só vez. Quando penso nisso eu quero dizer: “SUBLIME GRAÇA!”. Deus tem feito grandes e poderosas obras para nós hoje!

Uma senhora na América uma vez disse a mim: “Irmão Branham, é difícil haver qualquer proveito em vir às suas reuniões. Você distribui apenas alguns cartões, e talvez somente vinte e cinco numa noite recebam oração”. Sempre tem havido uma confusão na mente das pessoas concernente a isto. Por outro lado, na África as pessoas compreenderam isto imediatamente. Simplesmente tão logo eles viram alguns milagres, aquilo foi o suficiente para eles. A única coisa que nós pedimos para eles fazerem, era ficar de pé e repetir a oração que estávamos orando, e fazê-la de seus corações, e aceitar o Senhor como seu Salvador e Curador. Milhares de pessoas testificaram da sua cura como um resultado desta oração em massa.

No caminho de volta da África eu comecei a questionar: “Senhor, o que devo fazer? Devo ficar mais tempo numa cidade para receber todas as pessoas que desejam receber oração?”. Enquanto eu estava pensando sobre isso, uma terrível tempestade veio. Tivemos que viajar por toda a noite e agora era de manhã. Vi todo mundo agindo nervoso e eu perguntei qual era o problema. Perguntei para um dos comissários, que estava andando de um lado para o outro no avião, qual era o problema. O comissário disse: “Você é um ministro, não é?”. Eu respondi: “Sim senhor”. Ele então disse: “Creio que você não pensa em morrer, pensa?”. Eu respondi: “Espere um minuto!”. Ele então explicou: “Nós ficaremos bem se conseguirmos resistir até podermos chegar a um determinado lugar na Nova Escócia. Nós entramos em uma tempestade há pouco tempo atrás, e não temos combustível suficiente para suportar por mais tempo”. Nós conseguimos, embora eu certamente estivesse agradecido por voltarmos a pousar no solo. O restante dos passageiros celebrou com a abertura de um champanhe, mas nós celebramos adorando a Deus.

Porém após eu conseguir voltar para casa, eu permaneci em oração acerca da vontade de Deus para mim nas reuniões. Vi o irmão Bosworth pouco mais tarde e disse-lhe: “Irmão Bosworth, foi um tempo maravilhoso”. Ele respondeu: “Irmão Branham, foi o maior da história”. Então ele continuou: “Quero dizer algo. Irmão Branham, você é um Branham novo em folha agora. Você está pronto para começar de novo”. Eu disse: “Sim, mas eu não estou certo do que Deus deseja para mim, e não irei sair outra vez até que eu saiba o que Ele quer que eu faça”.

Eu continuei a orar. Tive uma pequena batalha com aquela ameba na África. Eu pedi a Deus que por favor me ajudasse. Por meses desde que eu retornei da África estive orando e jejuando. Porém semana após semana nada acontecia e parecia que Deus havia voltado Sua face de mim. Então uma noite eu fui para cama bem tarde. Algum tempo depois das duas horas o Anjo do Senhor me despertou. O Anjo tinha em sua mão algum papel. Ele me mostrou que o papel havia sido marcado e ele pegou o papel e o jogou, e quando isso se espalhou subiu em direção ao céu e ele disse: “Isso está claro!”. Então eu caí em minha face outra vez e clamei: “Senhor, tenho orado, tenho clamado, tenho pedido o Teu perdão por causa da desobediência que se passou. Por favor, perdoe-me. Eu nunca permitirei que ninguém mais me induza a Te desobedecer, depois que Tu me tiveres dito o que fazer”.

Enquanto eu estava orando, o Anjo chegou do meu lado e disse: “Você tem se perguntado acerca de como conduzir as suas reuniões”. Eu respondi: “Sim, Senhor, tenho me perguntado o que eu deveria fazer. São tantos que me disseram como fazer. Alguns dizem para fazer isto e outros fazer aquilo”. O Anjo disse: “Isso te será mostrado, enquanto fores guiado pelo Espírito”.

Então o Anjo se moveu para perto de mim. Ele me segurou pelo braço e me assentou em Durban, na África do Sul, simplesmente tão claro como se estivéssemos sentados ali olhando para aquela audiência agora. Lá eu pude ver a grande multidão espalhada ao longo de todos aqueles três quarteirões da cidade.

Então a visão mudou, e eu vi outra audiência. Eu nunca havia visto tanta gente. Eles se pareciam como indianos. Eles tinham pouquíssimas roupas e eles se pareciam como as pessoas da Índia. Suas mãos estavam no ar e eles estavam louvando a Deus. Eu perguntei: “Estas pessoas são amarelas ou negras?”. Exatamente então o Anjo do Senhor falou do céu, e disse: “Lá estão 300.000 deles”.

Creio que não demorará muito antes que o Senhor me guie para outra reunião ou na África do Sul ou na Índia, e ela será três vezes do tamanho da reunião em Durban. Quero unir minha voz com a de São Paulo do passado quando ele esteve no navio e disse que todos ficariam bem. Quando a esperança daqueles no navio havia se acabado, Paulo chegou e disse ao povo: “Tenham bom ânimo; pois nenhuma vida se perderá de entre vós, exceto o barco. Pois ali de pé ao meu lado nesta noite o anjo do Senhor, de quem eu sou, e a quem sirvo, parou dizendo: ‘Não temas, Paulo; tu deves ser trazido perante César, e eis que Deus tem te dado todos aqueles que navegam contigo’. Entretanto devemos ser arremessados sobre uma determinada ilha. Portanto, senhores, estejam de bom ânimo, pois eu confio em Deus que sucederá exatamente como me foi dito”.

Eu uni minha voz com a de Paulo dizendo: “Isto será exatamente como Deus me mostrou”. Irmão, irmã, a antiquada mensagem do evangelho do Espírito Santo quase tem varrido ao redor do mundo. Outro dia estávamos conversando com um missionário que estava voltando da Coréia e ele me disse que havia enterrado por lá sua esposa. Ela havia morrido de febre, e ele a havia enterrado perto de um rio. Ele falou das perseguições. Porém ele também falou de um grande avivamento que havia brotado de algum lugar e que milhares haviam recebido o Espírito Santo. Eu creio de todo meu coração de que estamos perto do fim. Alguns oficiais da Assembleia de Deus disseram: “Irmão Branham, nós enviaremos você para Índia... não para representar a Assembleia de Deus, mas somente para ir até lá, pois o povo daquela terra está faminto para ver aquelas coisas e quando eles virem a Cristo isso poderá mudar toda a situação”.

A situação será mudada, creio eu, na Segunda Vinda de Cristo. Estou convencido, como servo de Deus, de que existem pessoas bem aqui neste edifício esta noite que nunca morrerão de idade avançada. Elas verão a vinda de Jesus. Creio que as horas estão se apressando. Deus está fazendo Sua chamada final, e oh, se eu pudesse apenas contar a você algumas das coisas que estão apontando para aquele lugar agora mesmo. Se você está aqui esta noite e não está preparado para receber a Cristo, o que impede você agora?

Permita-me fazer uma predição, não no Nome do Senhor, mas no meu mesmo. Deixe-me repetir que isto não é do Senhor, mas de mim mesmo. Existem duas coisas que irão acontecer em breve. Na linha política, todos os lados estão corruptos – cada nação está controlada pelo diabo; a Bíblia diz assim. Ele levou Jesus sobre um monte e disse: “Todas estas coisas são minhas. Se Te prostrares e me adorares, eu as darei a Você”. Jesus sabia que elas seriam Suas no Milênio, porém Ele não mencionou isso. Ele disse: “Está escrito, adorará o Senhor teu Deus”. “Alegrai-vos todos os povos da terra, pois os reinos desta terra têm se tornado os reinos de nosso Senhor Jesus Cristo, e Ele regerá e reinará sobre a terra”. Agora note que pode haver uma mudança política dentro do próximo ano ou mais. E quando isso acontece pode haver pânico. Se as políticas mudam e a situação de guerra se torna diferente, então você pode ver um pânico como você nunca viu antes, e as pessoas ficarão loucas de medo. Haverá de ser um tempo de angústia tal como o mundo nunca conheceu antes.

Creio que Deus está dando este avivamento para deixar o povo ancorado a Cristo por causa do grande abalo que está se aproximando. Se as coisas ocorrem por um pouco mais de tempo seremos bombardeados com a bomba atômica simplesmente tão certo quanto eu estou aqui de pé. Será uma destas duas coisas. Estamos indo em direção aos problemas. Lembre-se disso, se você não recebeu a Cristo e foi batizado com o Espírito Santo, não deixe o sol nascer até você ter recebido!

Há de vir um tempo quando tais coisas como pragas e guerras biológicas se espalharão sobre a terra. Porém o Anjo do Senhor disse: “Não fira a terra, nem o mar, nem as árvores, até termos selado os servos do nosso Deus em suas frontes” (Apocalipse 7:3). Irmão, irmã, o selo de Deus é o Espírito Santo. Efésios 4:30 diz: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”. Alguém poderia me classificar como um fanático. Longe que eu devesse ser um enganador. Irmão, isso para mim é mais do que a vida. Porém eu creio que estamos no final da estrada. Creio que alguma coisa está se preparando para acontecer. Estamos bem no meio do maior avivamento que o mundo já viu em todas as eras. Certamente, Wesley teve um avivamento na Inglaterra. O avivamento luterano e o avivamento de Welch foram grandes movimentos de Deus. Mas esta é uma questão universal – isso está por toda parte. Talvez alguns de vocês sejam estranhos dentro de nossos portões. Eu admito que existam algumas coisas feitas em nome do pentecostes que eu não creio que estejam certas. O povo pentecostal é humano e como o resto de nós eles cometem erros. Mas eles têm algo que o restante do mundo necessita – que é o batismo do Espírito Santo.

O Anticristo é o espírito de decepção que estará tão próximo do verdadeiro que enganará o próprio eleito se possível. Se houve alguma vez uma necessidade de se entrar na porta da misericórdia, é agora. Descubra onde você está parado. A hora está chegando irmão, quando haverá de ser uma confusão tal que você não saberá onde você está. Enquanto você pode deslizar até o Reino de Deus, faça-o agora. Deixe Cristo te salvar e te selar.

Outro dia um homem judeu, um dos maiores homens judeus da nação, parou em minha sala – ele foi um missionário da África. Ele disse: “Irmão Branham, eu quero perguntar algo a você. Tenho tido vários graus. Tenho tido tantos isto e aquilo. Sou membro de uma determinada igreja denominacional. Tenho olhado em volta e tenho estado me perguntando. Tem sido ensinado a mim assim e assim na escola. Porém será que a escola estava errada? Temos lido o seu livro Um Homem Enviado de Deus. Nossos corações queimaram por Deus”. Ele caiu sobre uma pequena mesa de café ali na sala e clamou: “Oh Deus, tem misericórdia de mim por meio de Seu filho Jesus Cristo. Eu quero o Espírito Santo”.

Sim amigos, Deus está te chamando pela última vez. Aceite Cristo. Seja selado pelo Espírito Santo de Deus. Nesta hora nossa nação está indiferente. O povo tem fartura para comer e vestir. Porém não se engane. Uma mudança está vindo e ela não está longe. Tome sua decisão para as coisas eternas.




Tradução: Diógenes Dornelles

http://diogenestraducoes.webnode.com.br/

www.doutrinadamensagem.com